Pedro enganou as ONGs


Pedro é um pecuarista fictício. A fazenda fictícia de Pedro fica na Amazônia e nela há um desmatamento fictício. Se Pedro emitir uma Guia de Trânsito Animal, as ONGs podem ver. Como vocês sabem, algumas ONGs e ambientalistas associados acessaram os servidores do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e tungaram mais de 11 milhões de GTAs.

Com as informações das GTAs, as ONGs desenvolveram um sistema chamado Visipec. Esse sistema usa as GTAs para rastrear a cadeia de fornecimento da indústria. Os frigoríficos não comprarão mais animais criados em áreas onde há desmatamento nem de quem comprou animais onde tenha havido desmatamento. Ninguém comprará os animais fictícios de Pedro.

Mas Pedro é esperto. Ele fez um contrato de arrendamento fictício com um de seus vizinhos fictícios, foi até a agência de defesa sanitária do estado onde mora e abriu um cadastro novo sem desmatamento. Assim, Pedro poderá emitir GTAs reais e transportar o gado de sua fazenda fictícia onde há desmatamento fictício sem ser visto pelo Visipec.

Quem perde com isso?

Todos nós perdemos quando o sistema de vigilância sanitária é povoado com informações falsas por conta da ação de ONGs. Sem informações corretas não há como controlar um eventual problema sanitário.

Os ambientalistas vão destruir o sistema brasileiro de vigilância sanitária.

Saiba mais em: Eram os ambientalistas idiotas: Uma notificação extrajudicial a eles dirigida

Clique aqui e veja tudo o que já publicamos sobre esse assunto.

Imagem de mohamed Hassan por Pixabay

“Informação publicada é informação pública. Porém, alguém trabalhou e se esforçou para que essa informação chegasse até você. Seja ético. Copiou? Informe e dê link para a fonte.”

Comentários