População da Amazônia protesta contra ação do Ibama na região


Em protesto contra destruição de equipamentos pelo Ibama, dezenas de amazônidas fecharam a rodovia PA-274 na última terça-feira (24) em Ourilândia do Norte 930 km ao sul de Belém. A manifestação, que tem apoio da prefeitura, começou às 6h e ocorre após o operação do Ibama que piorou a situação econômica da região, uma das mais pobres do país. Fotos aéreas mostraram uma longa fila de automóveis diante da barreira.

Em três dias, agentes do Ibama agindo encapuzados destruíram 12 retroescavadeiras avaliadas em cerca de R$ 500 mil cada uma, 13 balsas, além de máquinas e equipamentos. O Ibama alega que a legislação autoriza a destruição do equipamento antes do direito de defesa dos acusados, o que é falso.


“Nosso movimento é pacífico, diferente da forma truculenta que somos tratados pelo IBAMA. Porém, caso não haja um diálogo com os órgãos competentes para discutirmos a nossa situação vamos voltar a realizar interdição da rodovia” afirmou o secretário da Cooperativa dos Garimpeiros de Ourilândia, Bluno Jefferson Alves.

A rodovia PA-279 é o único meio de ligação entre os municípios de Água Azul do Norte, Ourilândia, Tucumã e São Félix do Xingu. E é a via de escoamento da produção de muitas indústrias frigoríficas e da mineração como a da Vale, que fica em Ourilândia. A região é também uma das maiores produtoras de gado bovino do Brasil.

Na segunda (23) o prefeito de Ourilândia do Norte, Romildo Veloso e Silva (PSD), viajou a Brasília para reclamar da operação "desmedida" do Ibama. Com o apoio da bancada paraense, pediu uma audiência com o ministro Sarneyzinho.

Ao jornal Falha de São Paulo, ele defendeu que o Ibama faça um Termo de Ajuste de Conduta (TAC) em vez de destruir o maquinário. "A economia está em frangalhos, e o Brasil está em crise sem precedentes." Dr. Veloso, como é conhecido, disse que o garimpo é ilegal "mas ele está trabalhando, produzindo riqueza, comercializando seus produtos."

As ações truculentas e arbitrárias do Ibama na Amazônia têm gerado reações dos comunidades locais. Na semana passada os prédios do órgão ambiental e do ICMBio foram queimados pela população de Humaitá, no Amazonas. Em julho, uma carreta carregada com viaturas dos ambientalistas governamentais também foi incendia no sudeste do Pará.

Entenda aqui porque o Ibama comete abusos nas operações de fiscalização na Amazônia: O Crime perfeito.

Uma vez que o Brasil trata a Amazônia como colônia é preciso conversar francamente sobre a independência da região. Clique aqui e saiba mais.

“Informação publicada é informação pública. Porém, alguém trabalhou e se esforçou para que essa informação chegasse até você. Seja ético. Copiou? Informe e dê link para a fonte.”

Comentários

Andreia David disse…
ACHO QUE AS AUTORIDADES DEVERIAM TOMAR ALGUMA PROVIDÊNCIA CONTRA ESSE BLOG QUE SISTEMATICAMENTE, DIA APÓS DIA, FAZ APOLOGIAS CONTRA AS AÇÕES LEGÍTIMAS DO IBAMA E A FAVOR DE CRIMES AMBIENTAIS.
Andreia David, seu comentário é típico de quem vive em uma sociedade manipulada pela mídia. Seu comentário é típico de quem não conhece nada além de um pensamento montado pela mídia.
Vá estudar um pouco a história do Brasil antes de tecer qualquer comentário contra esse Blog.
É, isso mesmo, estou tomando as dores do Blog, por que é um Blog legítimo, que enxerga além dos fatos, que não são tão claros como você pensa.
Incrivelmente esse Blog é escrito por alguém que sabe o que está falando.
Só quem vive no interior sabe dos mandos e desmandos do Ibama e dessa corja de "ambientalistas" que andam gritando sem conhecimento de causa.
O Instituto Chico Mendes ganhou R$5.000,00 da Rede Globo por causa de uma foto de uma cachoeira, que não pertence ao Instituto, mas pertence a todo mundo, inclusive a cretina da Rede Globo. Mas no entanto esse mesmo Instituto Chico Mendes, não teve nem capacidade nem competência para exaurir um fogo que destruiu a chapada dos Veadeiros. E por ai vai, eu teria que escrever um livro para V.Sa. entender um pouco mais do que tudo que rola por trás das boas intenções do governo. Saudações prezada Andreia David.