Aldo Rebelo poderá substituir Michel Temer em eventual governo de transição

Com transito em todo o espectro político, Aldo Rebelo costuma ser acionado em momentos de crise

Menos de uma semana após o início da crise política que tem devastado o Governo Michel Temer alguns nomes de eventuais substitutos começam a ganhar força para participarem de eleição presidencial indireta, na qual apenas congressistas votam. Há quatro possibilidades do presidente cair: renúncia, cassação da chapa Dilma-Temer por meio do Tribunal Superior Eleitoral, o Supremo Tribunal Federal transformá-lo em réu ou impeachment.

A saída do presidente pela porta dos fundos do Palácio do Planalto é dada como certa nos bastidores de Brasília. Políticos de oposição e da própria base do governo falam em uma solução negociada para um governo de transição que possa dar segurança institucional ao país até as eleições de 2018. O Jornal El País e o portal de noticias Huffington Post incluíram hoje o nome do ex deputado Aldo Rebelo entre os cotados para essa transição.


Rebelo costuma aparecer em situações de grave crise política. O parlamentar foi relator do Código Florestal na Câmara dos Deputados e conseguiu negociar uma solução para um impasse de quase vinte anos consumando a reforma legislativa do velho Código Florestal. O deputado também foi escolhido para presidir a Câmara entre 2005 e 2007 na esteira de outra grande crise parlamentar quando Severino Cavalcanti renunciou diante da constatação de que recebia propina no cargo. Em todas as ocasiões, conseguiu dialogar com todas as vertentes políticas do Congresso.

Aldo Rebelo é filiado ao PC do B, tem origem na militância de esquerda dos anos 70, mas tem grande aceitação em todas as vertentes políticas do país inclusive no setor rural e entre os militares.

Este blogger acha que, se há quem possa negociar algum tipo de unidade no país nesse momento difícil, Aldo Rebelo é um deles.

Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado

Comentários

Prabodha disse…
Ok, agora já sabemos quem está por trás deste blog... no qual fala-se de ambiente inteiro enquanto elogia-se a amizade com a bancada de ruralistas, que se pudesse não teria ambiente nem pela metade.
Ajuricaba disse…
Aldo Rebelo, do PC do B, é ruralista?
Prabodha disse…
Oi Ajuricaba, leia o artigo todo, dizendo que "Aldo Rebelo é filiado ao PC do B, tem origem na militância de esquerda dos anos 70, mas tem grande aceitação em todas as vertentes políticas do país inclusive no setor rural e entre os militares." Você deve entender o que "grande aceitação" quer dizer. Em outras palavras, eu não te incomodo, e você me aceita, certo?
Ajuricaba disse…
Errado. Por quais diabos eu aceitaria uma opinião tosca e mal formada sem questioná-la?
Prabodha disse…
Exatamente, rsrs. Não houve intenção de criar uma armadilha, mas você mesmo se enredou nela e provou meu ponto. Meu exemplo sobre aceitação na política não era para você me responder, mas para se colocar no lugar dos políticos que "se aceitam" uns aos outros. Quis apenas alertar que é uma realidade que essa tal de "aceitação" não passa de um jogo de "podemos ser adversários políticos, mas somos aliados para manter este sistema que nos favorece." Entenda como quiser, e bom domingo!
Ajuricaba disse…
Isso é uma estultice. Como estultice é a negação tosca da política.