terça-feira, 3 de janeiro de 2017

O movimento ambientalista brasileiro é uma fraude

Leio no Canal Rural, o braço de comunicação e marketing do Grupo JBS, que o Brasil não produz hoje nem a metade da borracha natural que consome. Consumimos 412 mil toneladas e produzimos apenas 193 mil toneladas. Menos de 1% da produção nacional vem do extrativismo de seringais nativos. O movimento ambientalista brasileiro é uma fraude. Nos anos 80 os ecólatras fizeram o mundo acreditar que o extrativismo era o futuro da Amazônia. Era mentira.


O ambientalismo brasileiro é uma fraude. Diante da incapacidade de alcançar o desenvolvimento sustentável em todas as duas dimensões, os ecólatras esquecem a dimensão social e econômica. Seu foco é a proteção ambiental. Escudados pelos simbolismo do termo sustentabilidade, os canalhas violentam as pessoas.

Veja a matéria do Canal Rural, o braço de comunicação e marketing do Grupo JBS: Setor de borracha no Brasil busca autossuficiência da produção publicada em 25 de Dezembro de 2016.

Aliás, quem conhece o trabalho do Professor Alfredo Homma, da Embrapa Amazônia Oriental, sabe muito bem que os ambientalistas mentem quando oferecem o extrativismo como alternativa sustentável.

Imagem: Composição do fotor.com com fotos de Valter Campanato e Marcelo Camargo, da Agência Brasil, e Arison Jardim, da Secom Acre.

Veja você mesmo:

HOMMA, A. K. O.. Extrativismo vegetal na Amazônia: limites e oportunidades.. Brasília: EMBRAPA-SPI, 1993. v. 1. 202p.

HOMMA, A. K. O.. Extrativismo vegetal na Amazônia: história, ecologia, economia e domesticação. 1. ed. Brasília, DF: Embrapa, 2014. v. 1. 468.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Reflexões sobre meio ambiente, pecuária e o mundo rural brasileiro. Deixe seu comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...