Adeus, banana!

Eis aí uma imagem de uma parte do Rio Ribeira, no interior de São Paulo. Essas plantações mais escuras e homogêneas às margens do rio são plantios de banana. O Rio Ribeira tem cerca de 140 metros de largura em seu leito regular. Isso significa que imóveis com mais de 4 módulos, que nessa região corresponde a 64 ha, terão que recuperar a metade da largura do Rio, ou seja, 70 metros a título de APP.

Caso não tenham menos de 64 ha os produtores rurais que aparecem nessa imagem serão obrigados a arrancar boa parte desse bananal e plantar floresta nativa no lugar dele.

Quem apontar onde está o desmatamento que o Greenpeace e os jornalistas dos jornalões dizem que o novo Código Florestal trará ganha um picolé de banana.

Bom final de semana.

Comentários

ERNANI FARIAS disse…
=/ Pensei que o min da agricultura tinha sido defenestrado (adeus banana). =/ La pergunta: o novo código não permite substituir vegetação nativa por frutíferas e, se sim, as bananeiras podem ser consideradas perenes?
Ciro Siqueira disse…
Poder, podia. Mas eu aposto um real com você como ela vai vetar o inciso que permite recuperar APP com frutíferas.
Luís F Brandão disse…
O Ciro tem razão. Perto de Reserva legal e APP esses ambientalistas ongueiros só aceitam um "turistazinho" deslumbrado sobre a natureza e urbanóide de alma. Enfim... os novos produtores rurais serão os guias de trilhas e organizadores de rapel desse Brasil... é ingenuidade pra caramba!!
e1000 disse…
Existe uma industria ambientalista por tras disso tudo.. sao centenas de empresas formadas por biologos e ecologistas que se oferecerao " sem segundas intençoes " para fazer os projetos de Regularizacao ambiental das fazendas.. cobrando caro, e' claro... Pq Ambientalista nao gosta de trabalhar de graça, nem pra salvar o planeta , como dizem..
Coelho disse…
Caro Ciro Siqueira...Porque os agricultores como nós não se unem para fazerem suas reinvindicações de uma maneira de uma maneira mais incisiva, colocando o governo em cheque, assim como fazem outras categorias como bancarios, caminhoneiros, professores etc, bolando um plano prá diminuirmos gradativamente a área de plantío e se preciso for chegar ao plantío 0 (zero), o que eu acredito que jamais acontecería, poois dessa forma o governo rapidamente atenderia as nossas exigencias. Este é um sonho que tenho, mas que jamais encontrei suporte. Até parece que existe um mistério em torno desse assunto, pois ninguem se empolga com essa idéia. E agora o momento sería mais do que propício, já que existe essa discussão em torno do código florestal, aliás já ficou tarde, mas ainda assim poderíamos sentar e discutir o assunto, pois só assim o agricultor podería atingir os seus objetivos, já que a força do campo é extrondosa, basta tomarmos posse dela!
jerson disse…
como o amigo ai escreveu, eu tambem ja tinha escrito, e de minha parte, com a minha humilde produção ja diminui uns 50%, uma porque estou revoltado com a politica ambiental, e outra não vale a pena nas condições atuais produzir muito o custo beneficio não compensa por isso to devagar quase parando.