Rodrigo Rollemberg articula derrubada na MP do Código Florestal

Agricultura que se dane
Líder do governo no Senado, Eduardo Braga (PMDB-AM) conta ao Poder Online que o Palácio do Planalto ainda aposta num acordo entre ruralistas e ambientalistas para a votação da medida provisória do Código Florestal.

Mas ressalta que se não houver acordo, o governo está muito sensível à proposta do senador Rodrigo Rollemberg. Rollemberg, que já foi dirigente de ONG, propõe uma aliança entre os ambientalistas e o governo para simplesmente derrubar a MP.

Caso a MP caia o setor rural ficará sem a consolidação de áreas agrícolas em APP, uma das maiores motivadoras da reforma do Código Florestal. Cairá também a dispensa de averbação de Reserva Legal nos cartórios, a temporalidade da lei e vários outros ganhos para o setor.

Se a MP cair o governo não poderá editar outra MP sobre o mesmo tema. A solução será fazer tramitar em regime de urgência um projeto de lei oriundo do Legislativo. Na melhor das hipóteses ficaremos sem regulamento por uns 5 anos.

Ministério Público e ecotalibãs do governo teriam tempo suficiente para devastar a agricultura brasileira, sobretudo os menores, exigindo a recuperação a destruição de terras agrícolas para o replantio de APPs.

Vê-se fácil o nível de responsabilidade do Senador Rodrigo Rollemberg com a agricultura nacional. A ideia de derrubar a MP encontra aliados em setor do governo ligados a ala mais radical do PT, que também não se importa com a agricultura brasileira, e, por incrível que pareça, também na ala radical dos ruralistas.

Muita gente fez carreira bravateando na guerra dos ecólatras contra os produtores rurais e não querem largar o osso.

Foto de Lindomar Cruz, da Agência Brasil.

Comentários

ANA disse…
Ciro esta MP foi editada na sessão legislativa 2012, se tudo der errado e expirar o prazo ela pode ser reeditada em fevereiro de 2013. O que a CF proíbe é reedição na mesma sessão legislativa
Ciro Siqueira disse…
Ana,

Não podemos entrar nessa pilha. Alguns deputados fizeram carreira se colocando como bastiões de uma guerra contra o radicalismo ambiental. Essa turma não quer o fim da guerra, ao contrário, eles dependem dela.
Em 10 meses sem o 61 o MP e o Ibama farão estragos gigantescos no setor, fora a paralisação do CAR, etc. Os ecólatras estão quietos porque desistiram do Legislativo. Democracia não é com eles. Eles estão com o bote armado para a discussão no judiciário, no STF.
Não é o momento de dar pilha pros radicais do Agro. A era deles e dos radicais do Eco já passou.
Paulo disse…
A humanidade está em contínuo desenvolvimento e para que isso não seja mais uma decadência vista em nosso planeta é preciso mudar nosso pensamento de seres "mitidos" e olhar para o que está em nossa volta. Não somos os únicos neste mundo. Não precisamos ser a espécia dominadora que aniquila seus irmãos, os outros seres. Não precisamos disso!!
Ciro Siqueira disse…
Amém, irmão!! Aleluia!!
Senhor Paulo, a grande tribulaçao está vindo e rápida, a terra será destruída quase que em sua totalidade
devido as agressões que sofrerá por parte do reino infernal do Anticristo, mas a maior destruição será feita pelo próprio Deus que derramarará sua ira sobre este reino trevoso que se estabelecerá por pouco tempo na Terra.

Daí minha pergunta: O que você vai fazer senão ter a marca da besta em sua testa?

Não se preocupe, logo em seguida a Terra se tornará um paraíso, pois o próprio Jesus irá recuperá-la e governará por 1000 anos.

No momento, melhor é não se preocupar em demasia em preservar a Terra ou a natureza, porque logo isso virará um caos tão terrível que os ambientalistas vão fazer xixi nas calças.