Greenpeace, reforma agrária e desmatamento na Amazônia

 
No mês passado Procuradores da República do Ministério Público Federal do Pará entraram com ações judiciais nos estados do Pará, Amazonas, Roraima, Rondônia, Acre e Mato Grosso para tentar conter o desmatamento em assentamentos da Reforma Agrária. De acordo com os procurados esses assentamentos representam um terço das árvores derrubadas. Dos seis estados, o Pará é o que mais possui projetos de reforma agrária: 1.220. De acordo com o MP, na maioria dos assentamentos o desmatamento já derrubou pelo menos 50% da cobertura vegetal. Em alguns locais, como o assentamento Tuerê, no sudeste do Pará, o corte de árvores aumentou seis vezes nos últimos 10 anos. Nas ações, o MPF pede a proibição da criação de novos assentamentos sem licença ambiental e a recuperação das áreas desmatadas, além da interrupção dos desmatamentos que, segundo o procurador Daniel Azeredo, estariam sendo estimulados pelo próprio Incra. "Vários documentos foram enviados ao Ministério Público pelas prefeituras dizendo que a orientação do Incra aos assentados é de que se não desmatarem, não vai haver a criação do assentamento e, consequentemente, a reforma agrária". O que isso tem a ver com o Greenpeace? O Greenpeace apoia esse tipo de reforma agrária. O jornal Folha de São Paulo informou hoje que a ONG foi uma das 37 entidades que com fizeram parte da manifestação de ontem em Brasília junto com a Via Campesina e o MST. A manifestação era justamente pela continuação do modelo de reforma agrária que resultou nas ações judiciais do Ministério Público. Eis aí a máscara do Greenpeace. O negócio deles é ficar do lado da opinião público. Se der pra defender o meio ambiente, ok. Mas se for necessário não defender, tudo bem também. Veja aqui o velho hábito que tem o Greenpeace de mentir para manter sua militância ativa: Greenpeace mentindo sobre a empresa brasileira JBS (veja aqui). Greenpeace mentido sobre o desmatamento ilegal na Amazônia (veja neste post) Greenpeace mentindo em inglês, com tradução livre deste blogger, sobre o desmatamento na Amazônia (veja aqui).

Comentários

Acho necessário e justa a derrubada de árvores para dar lugar e acomodaçao à famílias pobres brasileiras, principalmente na Amazônia, inclusive para o pessoal do MST, desde que estes não invadam propriedades privadas, pois não há necessidade disso, visto que no Brasil há muitas terras disponíveis.

Não adianta o Brasil ficar com 61% de suas terras improdutivas privando a classe pobre de ter acesso a ela e correndo um ALTO RISCO de futuramente perdê-la por países ricos principalmente os Europeus.

A Inglaterra sonha em possuir a Amazônia, sem mencionar outros países e gangs, e enquanto isso, o povo brasileiro dando milhos aos pombos nas praças, dando IBOPE as estas ONGS, como GREENPEACE E WWF.

DESMATAMENTO ZERO UMA OVA, GREENPEACE!!!!!

FORA, SATANÁS!!!!!
Mesmo o Deus, concorda em usar o solo brasileiro para a agricultura, porém as riquezas em sua maioria será colocado nas mãos dos filhos dele antes que venha o Governo mundial.

"Vê o verde? É porque é muito, e muito se produzirá neste solo"

Copie e cole e veja o próprio Deus no lado da Agricultura no Brasil, prometendo, através dela, benefícios para as Nações:

http://www.youtube.com/watch?v=j16M0w-5q-E


Luiz Prado disse…
Que cara CHA-TO!
Ana disse…
KKKKKKKKKKKKKKKKKK
Fico pensando como o cara cumí sem nenhuma credibilidade, a julgar pelo vídeo,que mais parece um terrorista tonto, chegou a diretor de alguma coisa.Imaginem o grupo todo, o nível do QI.Bota CHATO nisso!!!
Ana disse…
KKKKKKKKKKKKKKKKKK
Fico pensando como o cara cumí sem nenhuma credibilidade, a julgar pelo vídeo,que mais parece um terrorista tonto, chegou a diretor de alguma coisa.Imaginem o grupo todo, o nível do QI.Bota CHATO nisso!!!