A frase mais ridícula tuitada pelo @GreenpeaceBR durante a semana

Eis aí o afirmação mais ridícula feita pela twitter do Greenpeace no Brasil ao longo dessa semana. Ao contrário da semana passada, quando eles falaram asneiras pelos três cotovelos, durante essa semana eles formam mais comedidos com o tuites. Devem estar se borrando de medo de aparecer aqui. Mas apesar de todo o cuida mandaram esse aí.

Em geral, ongueiro quer salvar o mundo, mas pretende fazer apenas com a força de vontade. Eles têm um preguiça cã de estudar. Salvo raríssimas exceções são pessoas bem intencionadas e ignorantes. Não sei se a pessoa que escreveu o tuite acime é bem intencionada, mas com certeza é ignorante.

A mensagem é aistórica. Lê o mundo como se o passado não tivesse acontecido. As pessoas em geral se comportam ou pensam de forma aistórica simplesmente porque são ignorantes em relação ao passado.

Se o néscio do Greenpeace que escreveu o tuíte acima conhecesse minimamente a história do Brasil não falaria tamanha asneira. Nem precisa ler muito, basta um único livro, Formação Econômica do Brasil, de Celso Furtado. Não fosse a substituição das matas de São Paulo e Paraná pelo café não haveria condições para a o início da industrialização do país pelo processo de substituições de importações. O livro mostra claramente esse processo.

E não é apenas um fenômeno brasileiro. Foi com a madeira das florestas europeias que portugueses e espanhóis construíram os barcos com os quais saquearem o ouro e a prata da América do Sul para depositar nos bancos holandeses. Várias das grandes cidades americanas de hoje já ostentaram o título de capital da madeira no passado.

O boçal do Greenpeace que escreveu o tuíte tentou descrever uma leitura que ele tem do caso amazônico. Na cabeça perturbada lá dele o desmatamento na Amazônia é inútil porque a Amazônia continua um lugar miserável.

Por que então o desmatamento na Amazônia não vira riqueza econômica?

Por duas razões básicas. A Amazônia não está sendo desmatada. Mais de 80% da região continua florestada. O número é do próprio Greenpeace.
Repare na diferença entre o nível de preservação florestal da parte mais desenvolvido do Brasil e da parte mais miserável.

Alguém é capaz de imaginar como seria o mundo se alguma força externa tivesse impedido os europeus de desmatar suas florestas para construir seus barcos, suas casas, aquecer suas famílias no inverno.

Por é isso que essas pústulas das ONGs ambientais estão fazendo com os brasileiros da Amazônia. Eles sustaram o processo de desenvolvimento local. Fecharam as serrarias, perseguem a pecuária, multam a agricultura, impedem a construção de rodovias, hidroeléticas, portos. Na Amazônia esses neofascistas não permitem que se construa nada.

O discurso é que o desenvolvimento convencional precisa ser substituído pelo desenvolvimento sustentável. E nisso eles estão certos. Ocorre que eles não sabem como fazer o tal desenvolvimento sustentável e se limitam a interromper o processo de desenvolvimento convencional.

O resultado é que o ambientalismo de merda feto por ONGs como o Greenpeace resulta na preservação da miséria florestal na Amazônia. É por essas entre outras que este blogger se dá o direito de tratá-los como aquilo que eles de fato são: canalhas, fascistas pintados de verde.

Eis aí o tuite ridículo do Greenpeace da semana. Ajude a escolher o da próxima. Saiba como.




Comentários

Muitas vezes o Greenpeace utiliza da palavra "agronegócio" para representar a agricultura patronal. Para deixar bem claro o termo "agronegócio" foi criado para definir todas as atividades desde a produção de insumos até o consumidor final, ou seja, agricultura familiar e pequenas propriedades fazem parte do Agronegócio. Abraço!
500 anos que o Brasil derruba florestas em favor do desenvolvimento?

E esse pessoal do Greenpeace não ocupa(mora) lugares que outrora eram florestas?

Em muitos países que existem hoje ao redor do mundo, eram florestas.

Pelo que percebi, parecem que estão sem argumentos lógicos, mas precisam agitar para dar a impressão que estão atuando.

E O GOVERNO FEDERAL, NÃO VAI FAZER NADA PARA ACABAR COM ESTE ABSURDO?

Olha o tipo de pessoas que estão atuando no Brasil através do Greenpeace:

http://saintgermanchamavioleta.blogspot.com/2012/04/greenpeace-brasil-assine-peticao.html

São pessoas que invocam anjos,energia, natureza e até um tal de comandante Asthar, parecem ser praticantes daquela religião chamada Nova Era, que é uma religião disfarçada de luz, mas é das trevas que será usada pelo Anticristo, pois une todas as religiões do Planeta, o que desagrada ao verdadeiro Deus da Bíblia.

Com isso, estão trazendo maldição para o Brasil e consequentemente pobreza.

O pior, veja de quem é a responsável pelo site:

Tatiana de Carvalho
Coordenadora da Campanha da Amazônia
greenpeace

O GREENPEACE MENTIU SIM, ALÉM DE CRIAR PROBLEMAS POR ONDE PASSA:

Depois de sofrer ameaças e insultos de voluntários da multinacional ecologista Greenpeace, os jovens do Crossroads, que peregrinam pela Espanha defendendo o direito à vida humana e manifestando-se contra o aborto, denunciaram que essas e outras agressões que sofreram acontecem porque são pró-vida e jovens com princípios.

Os jovens do Crossroads denunciaram que no dia 9 de agosto, depois de chegar à localidade de León, encontraram-se com um grupo de ecologistas que os insultaram fortemente, ameaçaram-nos gestualmente e gritaram "viva o aborto! Somos pró morte!".
Os voluntários do Greenpeace insultaram gravemente aos jovens com palavras de baixo nível que não as reproduzimos aqui.

Em declarações ao grupo ACI, Jaime Hernández, porta-voz do Crossroads, lamentou que o Greenpeace tenha negado a agressão quando se comunicou com a imprensa local e culpou aos jovens pró-vida, dizendo que eles os agrediram enquanto tentavam conseguir sócios.

"No seu comunicado eles falam que 5 dos seus membros que foram denunciados desmentem tudo e que fomos nós os que lhes provocamos, insultamos, etc. Quer dizer, que tentam virar o jogo e se fazem de vítimas".

Hernández desmentiu ao Grenpeace e assinalou que o que aconteceu "está provado graças às testemunhas".
O porta-voz do Crossroads disse que eles ainda não fizeram nenhuma denúncia contra o Greenpeace, mas se a multinacional ecologista não se desvincula dos jovens agressores, a denúncia será feita.

"Tivemos que chamar à polícia por segurança própria fomos nós", assinalou.

Hernández também disse que a polícia local revelou "que não era a primeira vez que tinha problemas com voluntários do Greenpeace".

"Nós não causamos nenhum problema nas cidades onde passamos. Fomos sempre atacados por ser católicos, pró-vida e jovens com princípios", disse.

"Os voluntários do Greenpeace não puderam tolerar que um grupo de jovens repartisse informação objetiva sobre o aborto. Por isso recorreram ao insulto e à agressão física", assinalou.

Arsuaga também expressou sua surpresa porque "Greenpeace negou os fatos e, portanto não pediram perdão".

"Como podem estar a favor do meio ambiente e não condenar a agressão contra pessoas concretas, contra os jovens do Crossroads e contra os seres humanos que ainda não nasceram?", questionou.