Governo desmente Folha de São Paulo. Mas será que desmente acordo?

A Secretaria de Relações Institucionais da Presidência da República (SRI) acaba de divulgar uma nota desmentido o jornal Falha de São Paulo. Conforme informado no post abaixo, os jornalistas militantes da Falha fizeram o jornal publicar um texto onde afirmam que o governo teria aceitado um acordo que anistiaria aos pequenos e médios produtores que desmataram ilegalmente. A nota da Secretaria de Relações Institucionais diz que "não há nenhum acordo entre o Governo e o relator no sentido de anistiar agricultores que tenham desmatado áreas preservadas".

É o samba do afrodescendente com distúrbios cerebrais. Os jornalistas ecomilitantes da Falha de São Paulo torceram a verdade descrevendo o acordo do governo como uma anistia a desmatamentos criminosos. Mas não há anistia a crimes no acordo. O acordo evita a recomposição ambiental sobre áreas agrícolas com o ônus de pequenos produtores rurais. Não trata de desmatamento nenhum.

A nota da SRI é muito clara em dizer que não acordo no sentido de anistiar crimes. O governo desmentiu a Folha de São Paulo. Mas será que desmentiu o acordo?

Veja a íntegra da nota da SRI:

Nota de esclarecimento
14 de abril de 2012

Sobre reportagem publicada hoje (14/04) no jornal Folha de São Paulo sob o título “Por novo Código Florestal, Planalto cede a ruralistas”, a Secretaria de Relações Institucionais da Presidência da República tem a informar:


1 – O relator do Projeto de Lei que trata do novo Código Florestal, deputado Paulo Piau (PMDB/MG) não apresentou até o momento parecer sobre a matéria;

2 – Portanto, não há nenhum acordo entre o Governo e o relator no sentido de anistiar agricultores que tenham desmatado áreas preservadas.

Assessoria de Comunicação da Secretaria de Relações Institucionais

Comentários

Ciro Siqueira disse…
No fundo o governo não desmentiu o acordo. Desmentiu os ecomilitantes travestidos de jornalista que a Folha aceita nos seus quadros.
Luiz Henrique disse…
Será que o jornal “Folha de São Paulo” paga alguma taxa ambiental sobre as milhares de arvores que são cortadas diariamente para a publicação de seu jornal?
Ana disse…
Quantas árvores são necessárias para a confecção dos jornais "folha" e "estadão"? Jornais tendenciosos tendem a mentir ou distorcer fatos, portanto nunca estão a serviço da população, a não ser de um determinado grupo. Já fui assinante e hoje ainda continuo recebendo ligações dos funcionários que desejam vender o produto com promessas de alguns meses grátis.A gratuidade que prometem no início sai caro no final e foi assim quando interrompi a assinatura.Após o cancelamento,paguei por mais seis meses o jornal que não recebi pelos três meses que recebi grátis.Se deixar de ler jornal significa ser ignorante, pelo menos eu me safo de pagar por mentiras.