Existe vida inteligente no Amapá?

Se você considerar que os amapaenses deram até hoje 24 anos de mandato no Senado ao maranhense José Sarney, dá pra imaginar que a resposta é não. Pior indício ainda foi o piti que o governador do Amapá, Camilo Capiberibe, e os parlamentares da bancada federal do estado, todos eles, estão dando sobre a reforma do Código Florestal.

O Governador e os parlamentares estiveram reunidos na manhã da última quinta-feira (16) com o deputado Paulo Piau, relator do Código Florestal na Câmara. A turba foi reclamar do parágrafo 5º do artigo 13. Que diz o seguinte:
O governador Camilo Capiberibe, o irmão dele, senador João Capiberibe, a cunhada Deputado Janete Capiberibe, e outros deputados do amapaenses que não são da família Capiberibe, acreditam que isso aí libera o desmatamento de 50% do Amapá.

O leitor do blog, que não é do Amapá, percebe facilmente que o texto diz apenas que qualquer unidade da federação que tenha seu território ocupado em mais de 65% com unidades de conservação públicas, PODERÁ reduzir a RL para 50% nos 35% que estão fora das tais unidades de Conservação. Isso apenas para efeito de recuperação e se a assembleia legislativa e o conselho estadual de meio ambiente autorizar.

Entenderam? O artigo não libera desmatamento nenhum. Mas a turma do Amapá, que inclui o Senador Randolfe Rodrigues, devidamente aconselhada por ambientalistas de ONGs, jura que libera. A deputada Fatima Palaes declarou o seguinte sobre o artigo 5º: “Somente o Amapá será afetado por essa medida e será bastante prejudicial porque abrirá uma brecha para que tenhamos ate 30% do nosso território desmatado”. O governador Camilo Capiberibe e sua bancada de gênios irão solicitar formalmente o impropério ao deputado Paulo Piau. “Estamos muito felizes com a disposição do relator de acatar o nosso pedido”, disseram ao sair da reunião.

O relator Paulo Piau deveria ter explicado à turma de amapaenses o real teor do artigo. Se conseguisse teria derrubado a máscara do ambientalista japonês que anda botando caraminholas na cabeça dos políticos do Amapá. Mas parece que Piau não consegue contra-argumentar nem se impôr a ninguém, ainda disse aos patetas que o artigo 5º poderá ser retirado. Fico me perguntando, se Paulo Piau não consegue se impôr nem nessa questão simples, debatendo com gente que conhece o tema apenas superficialmente a ponde de se deixar levar um ambientalistazinho qualquer, imagine com a Izabella Teixeira que é uma rocha?

Certamente há vida inteligente no Amapá, mas não são seus políticos.

Comentários

Luiz Henrique disse…
Creio que se existe vida inteligente é uma minoria, pois a maioria elege estes débeis mentais.
Luiz Henrique disse…
Este comentário foi removido pelo autor.
Luiz Prado disse…
Existe!
Mantido o statu quo, os capiberibes poderão capiberibar o tesouro do estado ainda por muito tempo, e até propor a substituição do nome do estado para sarneilandia, o que faria com que o nome do estado ganhasse repercussão internacional e quem sabe até interplanetária.
laerte spagnol disse…
Pow Ciro tu tá zoando com nós ! Não acredito que a coisa é assim no Amapá ??!!! É sério isso !!!!???
Concordo com o Luiz Henrique e acrescento, não é só no Amapá.

Porém, o maior problema é a atitude pouco inteligente das pessoas competentes e honestas, que dizem "eu não me meto em política, pois é suja".

Não percebem que quem manda no País são os políticos pois são eles que "administram" o poder executivo e são a totalidade do poder legislativo, portanto eles mandam e desmandam. E com o poder político e econômico na mão, cooptam a imprensa, designam os membros dos Tribunais superiores e os comandantes das polícias, dos militares, etc, etc.

E pior, não percebem que se os competentes e honestos não entram na política então... alguém entra.

Resumindo, enquanto os competentes e honestos não mudarem de atitude e, em vez de ficar de fora se lamuriando, entrarem na militância dentro dos partidos políticos, este País vai continuar na mão de incompetentes e/ou desonestos.
Braso disse…
Alguma duvida dA SARNEIZASÃO rsrs, É SÓ VISITAR O Maranhão e ver as condições humanas da maioria daquele sofrido povo.
Juliano Dobis disse…
Esse artigo é só mais uma pensada e estratégica brecha para desmatamentos, como é quase todo o novo Código Florestal, uma armadilha, e vocês, ruralistas, estão destruindo as florestas do Brasil para melhorar o PIB, como se PIB alto fosse sinônimo de qualidade de vida!
Ciro Siqueira disse…
Então diz aí onde está a liberação de desmatamento, Dobis?

Ou vai ficar só fazendo ilações e acusações sem fundamento?
Luiz Henrique disse…
O Artigo em questão, só é valido para Estados que tenham mais de 50% de Reservas florestais, indígenas ou governamental. Uma permissão para desmatar 50% dos 50% restantes, representam um permissão de aproveitamento em apenas 25% do Estado, e nestes 25% ainda fazem parte as cidades, estradas, industrias, etc, etc, etc.
É incrível como geralmente uma cabeça fechada vem acompanhada de uma boca aberta.
Ciro Siqueira disse…
É mais restritivo ainda, Luiz. O artigo permite a redução da RL para 50% apenas para efeito de recomposição em estados que tenham mais de 65% de sua área já ocupada com UCs.

Não significa desmatamento novo nenhum. Significa apenas que um dono de imóvel que tenha desmatado mais de 50% do seu imóvel só vai precisar recuperar até 50%. Quem ainda não desmatou, só vai poder desmatar 20% como na lei atual. Para esses a RL continua 80%.

E isso nem é automático. Precisa se estudado pelo COEMA e ratificado pelo Legislativo do Estado.

Ou seja, não muda absolutamente nada. A turma do Amapá esta sendo aconselhada por um ambientalista chamado Kenzo Jucá. No dia da votação do Código no Senado no Kenzo estava fungando no cangote do Senador Randolfe Rodrigues do AP. É ele quem tá botando caraminhola na cabeça da turma limitada do da sarneylândia II pra fazer enxame contra a reforma.
Wilson disse…
Prezado Ciro, você poderia colocar para Existe vida inteligente no BRASIL?

Em vez de colocar "Amapá"

Acho que exclusão não cabe a este blog.

Abraços.
Wilson disse…
Prezado Ciro pode mudar o título para

"Existe vida inteligente no BRASIL?"

com certeza este é o mais correto.