Radicalismo de Ronaldo Caiado pode botar a perder o esforço de Aldo Rebelo

Homem bomba: Ronaldo Caiado pode
jogar o lixo o esforço de Aldo Rebelo
Foto: Renato Araújo / ABr
A Comissão de Agricultura da Câmara dos deputados realizará amanhã (13) um debate entre os parlamentares, para comparar o projeto que muda o Código Florestal aprovado na Câmara com a proposta sobre o tema aprovada na última terça-feira (6) no Senado. O deputado Ronaldo Caiado (DEM-GO) defende que o tema seja melhor debatido na Câmara. Por isso, não quer pressa na votação da proposta que muda o Código Florestal.

Caiado critica a proposta do Senado e defende que ela seja derrubada na votação que ainda vai ocorrer na Câmara, para que siga para sanção presidencial o texto elaborado pelo então deputado Aldo Rebelo.

Em tempo, Ronaldo Caiado está fazendo o jogo de Marina Silva. A atitude de Caiado pode dar aos fundamentalistas de meio ambiente o que eles precisam para retomar o controle da legislação ambiental no Brasil. Se a Câmara fizer o que Caiado quer a presidente Dilma ficará sem opção a não ser vetar o texto deixando os produtores rurais novamente à mercê do atual Código Florestal.

Minha sugestão aos deputados que defendem a agropecuária é: ATROPELEM Ronaldo Caiado assim como atropelaram Marina Silva. Além de serem dois radicais Marina e Caiado tem outra coisa em comum, ambos são minoria, não têm voto.

O texto aprovado no Senado é mesmo pior para o setor rural do que o texto aprovado na Câmara, mas é um texto, por assim dizer, sancionável e é muito melhor do que a lei vigente.

Se a reforma do Código Florestal vai se concluir em 2011 ou não será decidido nessa reunião de amanhã da Comissão de Agricultura. É hora de pressionar seu deputado. O debate acontecerá às 9h30 no Plenário 8.

Comentários

DEVEMOS APOIAR RONALDO CAIADO, POIS MESMO ELE SENDO UM POUCO RADICAL, MERECE O NOSSO APOIO.


O IDEAL SERIA APROVEITAR ALGUMAS IDEIAS DE CAIADO QUE BENEFICIASSE A AGRICULTURA E INSERI-LAS NO NOVO CÓDIGO DO SENADO.


NÃO É JUSTO O PEQUENO AGRICULTOR QUE MAL TEM DINHEIRO PARA MANTER SUA PROPRIEDADE, TER DE RECUPERAR MATA CILIAR.
Ciro Siqueira disse…
Se a Câmara inserir alguma coisa no texto do Senado o texto terá que voltar àquela casa.
Não há a opção de inserir nada.
A Câmara pode retirar artigos ou vetar o texto inteiro.
O radicalismo de Caiado vai jogar lama em todas as vitórias até aqui.
Apoiar Caiado agora é apoia Marina Silva.
AINDA ASSIM, EU ARRISCARIA ENVIAR O TEXTO PARA O SENADO COM MODIFICAÇÕES COMO POR EXEMPLO: ISENTAR OS PEQUENOS AGRICULTORES DE TER DE RECUPERAR MATAS CILIARES E OUTRAS BOBAGENS QUE ESTÃO IMPONDO AOS PRODUTORES DE ALIMENTOS.

ENFIM, ESTENDERIA A DISCUSSÃO, PORQUE O TEXTO COMO ESTÁ DO SENADO VAI PREJUDICAR E MUITO OS AGRICULTORES DEPOIS QUE FOR SANCIONADO.

É AGORA OU NUNCA, CIRO!


CAIADO TEM DE SER APOIADO!

HAJA O QUE HOUVER!

PIOR NÃO VAI FICAR!
Ciro Siqueira disse…
Parceiro,

Qual parte de "a Câmara não pode alterar o texto do Senado" você não entendeu?
CIRO, VOCÊ ESCREVEU:

"Se a Câmara inserir alguma coisa no texto do Senado o texto terá que voltar àquela casa.
Não há a opção de inserir nada.


ENTÃO, VOCÊ DEIXOU A IMPRESSÃP DE QUE SE CASO FOSSE INSERIDO ALGO, VOLTARIA AO SENADO.

O FATO DE VOLTAR AO SENADO, NÃO ME ASSUSTA.
Ciro Siqueira disse…
Não assusta nem a você, nem a Marina Silva, nem às ONGs delas.
Alias é exatamente o que eles querem, que os fundamentalistas do lado de cá os ajudem a derrubar o texto todo.
Vc, o Caiado e o Collato estão querendo demais e vão fazer os produtores ficarem sem nada.
ASSUSTADOS SERÃO OS AGRICULTORES QUANDO SOUBEREM QUE TERÃO DE ARCAR COM DESPESAS DE RECUPERAÇÃO DE MATA CILIAR(A MAIORIA, ACHO QUE NEM SABEM DISSO).

QUANDO A LEI ESTIVER EM VIGOR, OS FISCAIS VÃO FAZER A FESTA.

MAS ENTENDO SUA PREOCUPAÇÃO.
ERNANI disse…
osenhortodomarrento preocupado com agricultor? E as multas absurdas que acarretam na perda da propriedade, não o preocupa? Gostaria de avisar que o novo código prevê assistência técnica e compensações economico financeiras. Se o governo vai cumprir é difícil dizer mas os produtores terão base para recorrer e cobrar os benefícios. Pode-se usar a desculpa das nações ricas para taxar os subdesenvolvidos e cobrar o tal (REDD) crédito de carbono - já que eles não preservam.