Sim, sim, me representam, sim! Estudantes fazem baderna no Senado

Está na moda. Um bando de "estudantes" foi ao Senado hoje fazer baderna contra a votação democrática da reforma do Código Florestal. Os estudantes estavam mobilizados há dias contra a construção de um novo bairro em Brasília, o setor Noroeste, e foram instados por ONGs do movimento da Marina Silva a deixarem a manifestação contra o Noroeste e irem para o Senado protestar contra o processo legislativo de reforma do Código Florestal.
Nota-se pelas imagens que eram todos estudantes como aqueles da USP, gente da urbe, classe média, sem compromisso com a recuperação ambiental de coisa nenhuma. Isso é recorrente na jihad dos ambientalistas contra a agricultura nacional. Estudantes, padres, cientistas, professores de universidade, ambientalistas, nenhum deles precisa cumprir o Código Florestal. Todos lutam de forma inconsequente para que outros (os produtores rurais) preservem o meio ambiente para eles.

Os baderneiros provocaram um confronto com a segurança do Senado e houve troca de empurrões. Um dos "estudantes" foi imobilizado com uma arma não letal por um agente do Senado. Um porta-voz da Polícia Legislativa afirmou que os seguranças foram agredidos pelos estudantes com socos.
Queiro deixar público que se os Senadores não representam estudantes profissionais que engrossam manifestações a esmo, ao sabor do momento, eles representam o produtoes rurais brasileiros que trabalham de sol a sol para alimentar o luxo desses mesmos estudantes. As Senhoras e Senhores Senadores que aprovaram a reforma do Código Florestal por 27 votos favoráveis e apenas um contrário me representam, representam todos os trabalhadores rurais desse país.

Parabéns, Senadores. Hoje os Senhores exercitaram a democracia.

Comentários

Luis Pereira disse…
Fiquei de boca aberta ao ver esses baderneiros gritando... que vergonha, que miséria, que mediocridade, que falta do que fazer, que falta de criatividade, que falta de um chinelo na bunda desses moleques.... pois é só dando palmadinhas mesmo prá curar 'birrinha' de nenêm. Isso demonstra outro problema seríssimo neste país: falta de educação básica!
Ana disse…
Por esta truculência de almofadinhas, percebe-se o que os produtores rurais passaram e ainda passam,molestados e torturados por cérebros regidos por ideologias fanáticas, cujo objetivo é transformar um subjetivismo imaginário em sofrimento real, àqueles que trabalham.Este grupo representa o caos e a perturbação da ordem para o progresso do país.Quantos profissionais deste naipe, disfarçados em paletós e gravatas e com título de doutores,fizeram-nos reféns ou subjugados aos seus interesses satânicos.
Ciro Siqueira disse…
Olhem essa no Estadão:

Estudante de antropologia, Caio de Miranda, disse que estavam lá para protestar contra o novo código, mas não soube dizer qual é a lei ambiental que defende. "Só tinha um pequeno agricultor lá (nas comissões), o resto era ruralista", justificou.

Caio de Miranda disse que defende o "código de antes", mas ele não soube precisar se falava do texto aprovado pelos deputados ou do texto defasado que está em vigor.

-------------------------
Eles nem sabiam o que estavam fazendo lá.
Flávia e Wagner disse…
Já há algumas décadas que os estudantes não sabem o que estão fazendo, dizendo, projetando, onde a falta de conhecimento sistemático é intrínseca e está no pacote externo de desenvolvimento "doado" ao nosso povo global que se presta apenas a ouvir torlonis, mouras, ambientalistas, exportar commodities e consumir tecnologia.

Wagner Salles
Tiago disse…
meu deus.... que papel ridículo.... o pior...nem sabem sobre o que protestam.
Tati disse…
A maior vergonha que tenho é ver vocês criticarem estudantes que estão lutando pelo futuro da sociedade como todo. Estudantes estes, acadêmicos e tenho certeza muito mais inteligente que vocês, pois estes sabem que a Lei é inconstitucional. E vocês sabem o que nossa Constituição Federal diz? Sabem?? Pelo jeito estão no mesmo barco que os nossos podres representantes políticos.
A única saída é o Judiciário. E torço pra que o STF entre nessa briga.
Então vai lá para os tais entendedores da lei que vai destruir as Florestas Brasileiras. Capitalistas cheios de moral...

Art. 225. Todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do povo e essencial à sadia qualidade de vida, impondo-se ao Poder Público e à coletividade o dever de defendê-lo e preservá-lo para as presentes e futuras gerações.

§ 1º - Para assegurar a efetividade desse direito, incumbe ao Poder Público:

I - preservar e restaurar os processos ecológicos essenciais e prover o manejo ecológico das espécies e ecossistemas;

II - preservar a diversidade e a integridade do patrimônio genético do País e fiscalizar as entidades dedicadas à pesquisa e manipulação de material genético;

III - definir, em todas as unidades da Federação, espaços territoriais e seus componentes a serem especialmente protegidos, sendo a alteração e a supressão permitidas somente através de lei, vedada qualquer utilização que comprometa a integridade dos atributos que justifiquem sua proteção;

IV - exigir, na forma da lei, para instalação de obra ou atividade potencialmente causadora de significativa degradação do meio ambiente, estudo prévio de impacto ambiental, a que se dará publicidade;

V - controlar a produção, a comercialização e o emprego de técnicas, métodos e substâncias que comportem risco para a vida, a qualidade de vida e o meio ambiente;

VI - promover a educação ambiental em todos os níveis de ensino e a conscientização pública para a preservação do meio ambiente;

VII - proteger a fauna e a flora, vedadas, na forma da lei, as práticas que coloquem em risco sua função ecológica, provoquem a extinção de espécies ou submetam os animais a crueldade.

§ 2º - Aquele que explorar recursos minerais fica obrigado a recuperar o meio ambiente degradado, de acordo com solução técnica exigida pelo órgão público competente, na forma da lei.

§ 3º - As condutas e atividades consideradas lesivas ao meio ambiente sujeitarão os infratores, pessoas físicas ou jurídicas, a sanções penais e administrativas, independentemente da obrigação de reparar os danos causados.

§ 4º - A Floresta Amazônica brasileira, a Mata Atlântica, a Serra do Mar, o Pantanal Mato-Grossense e a Zona Costeira são patrimônio nacional, e sua utilização far-se-á, na forma da lei, dentro de condições que assegurem a preservação do meio ambiente, inclusive quanto ao uso dos recursos naturais.

§ 5º - São indisponíveis as terras devolutas ou arrecadadas pelos Estados, por ações discriminatórias, necessárias à proteção dos ecossistemas naturais.

§ 6º - As usinas que operem com reator nuclear deverão ter sua localização definida em lei federal, sem o que não poderão ser instaladas.


Ora senhores entendedores da Lei. A constituição é clara e objetiva.
No que depender das pessoas desse site não precisamos mais de florestas, tudo é passível de ser derrubado.
Segue em frente que os nossos filhos nos perdoem a herança que vamos deixar.
Deixa votar e cortar tudo então. Pra que floresta....
Esses estudantes estão pensando melhor que vocês e muito.....
Ciro Siqueira disse…
Só falta dizer o que é que o artigo 225 da Constituição Federal tem a ver com a imposição da conservação de florestas aos produtores rurais.
Ciro Siqueira disse…
Caro Eduardo,

Se vc me apontar um único artigo do texto de reforma do código florestal que libere desmatamento eu fecho esse blog.
Bruno Barboza disse…
> A diminuição da Faixa de Mata Ciliar de 30m para 15m em areas consolidadas em APP´s de rios, permitindo o desmatamento de 15m de faixa de Mata ciliar.
> A diminuição da Mata Nativa as margens de rios, lagos e nascentes, devido a mudança de parâmetro de medida do período de cheia para o nível reguçar. Isso libera o desmatamento em área de várzea, atuamente protegida.
> A diminuição da Reserva Legal em áreas consolidadas em APP´s, permitindo o desmatamento da área protegida pela lei antiga.

Fecha o Blog, por favor.
Tuflos Andros disse…
Tem baratas cascudas no pedaço aqui, Ciro! Essa gente merece inseticida!
Harry Kasdorf Jr disse…
O novo codigo florestal nao permite o desmatamento, o antigo sim! E o produtor rural nao quer sair derrubando as matas, ele so quer produzir em paz, e pra quem é contra o novo codigo, se ele nao for aprovado, voce vai ficar sem ter o que comer em casa, ou vai pagar um absurdo por isso! O codigo antigo é interessante para os paises de primeiro mundo, pois com ele o brasil nao pode mais exportar comida barata,m melhorando assim os preços para eles! O problema dos ecochatos, é que eles nao tem noçao do que estao falando, pois falam que o produtor rural e culpado de tudo, mas continuam jogando a propria merda no rio nas cidades! Queria achar um ecochato que deixe 20 % da sua renda para a preservaçao do meio ambiente, cade???
Gonçalves disse…
A democracia morreu com a aprovação do código florestal nas comissões ruralista e de ciências e tecnologia e . Do mesmo modo o regime totalitário que impera neste blog evita publicar minhas respostas. O que esta havendo senhor moderador? Está com medo de alguma coisa? Não tem argumentos consistentes para contrapor aos meus?
Não é atoa que o lema do blog era "avançar é preciso, viver não é preciso", ou seja: a mesma natureza das células cancerígenas.

Meu maior arrependimento é não ter estado no momento do protesto. A defesa do meio ambiente não origina de ideologias egoístas de individualismo e lucro. Não objetivamos lucro. Ao contrário o que recebemos em troca foi nada mais nada menos que truculência policial e ameaças de morte.

Caros ignorantes, que distorcem nossa imagem transformando-nos em vilões fascistas. A luta pelo meio ambiente antes de tudo, é a luta a favor da vida. Enfim, esses senadores não me representam!
Flávia e Wagner disse…
Quanta asneira! É por isso que os ambientalistas da miséria dos outros chegaram até aqui e, a depender do nosso corpo discente e alguns docentes, irão longe.
Tati, como estudante de direito que é, aconselho-te ler o primeiro código florestal (Decreto-Lei 23793/34) e o Código de 1965 (original e remendado por Medidas Provisórias) para assim verificar que a grande maioria das modificações que deixaram o Código impraticável, tornando 90% dos produtores rurais criminosos, não foram feitas sob a forma da lei (Art 225 da CF/88) e sim através de medidas provisórias - MP, resoluções do CONAMA, ETC. Considerando a estudante inteligente que é, verá que a emenda constitucional 32/2001, que obriga as MP passarem pelo congresso, não foi promulgada à toa.

Wagner Salles
ruy edson disse…
Eduardo e Tati -

vocês devem ser estudantes. Não sei se são, mas se vocês julgam sem conhecer, também posso.
Para evitar estes julgamentos, convido-os gentilmente a conhecer a nossa propriedade, e acompanhar e nos ajudar na nossa rotina de desmatadores e destruidores do meio ambiente, e depois, podem julgar, com algum conhecimento de causa.

A nossa rotina não é diferente da maioria das propriedades do Brasil.

Agradeço se vier um de cada vez, pois não temos tempo nem espaço para muita gente.

Mas, serão bem-vindos.
Ciro Siqueira disse…
Caro Bruno Barboza,

O blog não será fechado porque você está errado. O texto reduzi a largura da APP e 30 para 15 metros PARA EFEITO DE RECUPERAÇÃO.

Onde a APP foi JÁ foi desmatada, alguma há séculos, algumas a mando do governo, o produtor terá que recuperar 15, e não os 30 exigidos pela lei vigente.

Onde a APP está preservada como 30 metros continuará valendo os 30 metros.

O mesmo ocorre para as outras situações onde houve qualquer redução de limite. Todas são para efeito de recuperação.

Vá ler o texto direito. Quem saí por aí repetindo o que alguém disse é um bocó, um boca aberta, maria via com as outras.
ruy edson disse…
Correção - estendo o meu convite a todos que queiram visitar a nossa propriedade, não somente a Eduardo (Engenheiro de Produção) e Tati (aparentemente estudante de direito). É só marcar a hora.
Ciro Siqueira disse…
Rui,

Se alguém aceitar não esqueça de explicar a eles que a galinha não morde, a vaca não zurra e melão não dá em árvore.
Bruno Barboza disse…
Então Sr. Ciro Siqueira,
li o Texto do Novo Código e essa é a interpretação que se tira.
Vamos aos fatos.

Art.35: no caso de áreas rurais consolidadas localizadas em áreas de preservação permanente nas margens de cursos d'água de até 10 metros de largura será permitida a manutenção das atividades agrossilvopastoris desenvolvidas, desde que:
I- as faixas marginais sejam recompostas em, no mínimo 15 metros, contados da calha regular.

É impossível estabelecer quem estava em tal situação até determinada data. Com a aprovação do codigo da margem aos produtores que estavam na lei antiga, se adequarem a essa nova situação, desmatando. Isso vale para as outras situações, como no estabelecimento das reservas legais. E ainda com a diminução do parâmetro, mesmo quem preservava os 30m a partir da cheia, terá uma faixa que poderá ser desmatada contando da calha regular do rio.

Ou você está firme na opinião de que isso não vai acontecer? Pela sua postura nas falas aqui do blog, tenho certeza que você só está esperando a aprovação pra começar a desmatar "dentro da lei".
É interessante como voce ridiculariza qualquer posição contra. Esse papo de que se não aprovar o código os brasileiros vão morrer ou pagar caro por alimento é a prova de o quanto os produtores estão mal intencionados ou muito pior, alienados.
Não é só você e quem está a favor que entende do assunto e tem opinião válida. Os mesmos cientistas que desenvolveram técnicas pra agricultura chegar no que está hoje, estão contra a aprovação desse novo código.
Sou Biólogo, e não se trata de doar 20% da minha renda pra preservação, e sim o meu suor e conhecimento. Isso é papo pra quem mede o mundo com a régua do dinheiro, bem a cara da bancada ruralista.
Ana disse…
A Democracia não morreu e nem morrerá pela votação do novo código.O que morre são facilidades que levam qualquer mané a explorar o que é do outro.O que morre são bolsos cheios que se agitam ante a possibilidade de verem-se esvaziados.
Ana disse…
Ciro, além do melão que não dá em árvores, explicar a eles que vaca não bebe água em copo, nem pede licença quando sente sede e é por isso que eles não devem jogar o esgoto nos rios, se sentem amor pelos bichinhos.
Flávia e Wagner disse…
Ana, tenho dúvidas se estes discentes almofadinhas entenderão o que está dizendo. Pelo visto, eles não sabem o que realmente significa o ambientalismo global para a América Latina, Africa, Austrália e outros.

Wagner Salles
LAMENTÁVEL QUE PARA ÁREAS DE APPs. DE 30 METROS TERÃO DE SER MANTIDAS CASO NÃO TEREM SIDO OCUPADAS ANTERIORMENTE, POIS AO MEU VER UM CÓRREGO BEM ESTREITO NÃO PRECISA DE 30M DE CADA LADO PARA "PROTEGER" O RIO, POIS 5M DE CADA LADO JÁ SERIA O SUFICIENTE.

PARA RIOS MAIS LARGOS, DAÍ SIM, PODERIA USAR 10 M, E PARA RIOS AINDA MAIS LARGOS, PODERIA UTILIZAR 30 M OU UM POUQUINHO MAIS.

MAS, INFELIZMENTE OS NOSSOS LÍDERES SE DEIXARAM SE LEVAR PELA DITADURA AMBIENTAL IMPLANTADA PRINCIPALMENTE PELO GREENPEACE E WWF NO BRASIL.

ASSIM, DEPOIS DE APROVADO O NOVO CÓDIGO FLORESTAL, OS QUE MANTÊM 15M DE MATAS CILIARES, PODERÃO SER MULTADOS POR FISCAIS ESTÚPIDOS ALEGANDO QUE TAIS OCUPAÇÕES SÃO RECENTES E, COM CERTEZA, VAI SER UM BATE BOCA ESTILO BEM À BRASILEIRO.

ACHO QUE EM QUESTÃO DE MATAS CILIARES, O CÓDIGO FLORESTAL DEVERIA ESTABELECER UM VALOR E PRONTO..SEM ESSA DE ÁREAS CONSOLIDADAS.

POR QUE BRASILEIRO GOSTA DE COMPLICAR?
sebastiao alvaro disse…
Desde a orígem do homem que a raça "humana" vem dizendo: "vou desmatar só um pouquinho". Há 1 milhão de anos que nós desmatamos só "um pouquinho", cada um, "um pouquinho". A superfície do planeta era toda coberta de vegetação, exceto os oceanos, mares, rios, lagos, desertos, algumas montanhas e os polos.O que temos hoje? onde existe vegetação nativa? E os animais? O que eles acham do novo código florestal? eles foram consultados? Parem com a palhaçada, o planeta não perdoará essa raça que se autointitula de humana, e da qual eu vergonhosamente faço parte. Sebastiao Álvaro, Professor.
sebastiao alvaro disse…
Há 1 milhão de anos que desmatamos só um pouquinho. Cada geração, só um pouquinho. Todo o planeta era coberto de diferentes tipos de vegetação, e o que temos hoje? só um pouquinho. Os animais do planeta foram consultados sobre o novo código florestal? O que eles diriam? me envergonho de pertencer a essa raça que se auto-intitula "humana". Professor Sebastião Álvaro
Tiago disse…
"> A diminuição da Faixa de Mata Ciliar de 30m para 15m em areas consolidadas em APP´s de rios, permitindo o desmatamento de 15m de faixa de Mata ciliar." Não é possível ou esse pessoal tem uma leitura altamente seletiva ou tem problemas de interpretação! Como o Ciro já explicou o caso dos 15 m de APP nem vou me ater ao caso. O grande problema é que o pessoal na maioria das vezes NEM LEU as propostas do novo código e quando lê ainda omite o que lhes convém!!!! Meu deus.... E o pior é que eles juram que estão defendendo a natureza, não tem a mínima noção de que agora está muito mais fácil preservar....na mente deles se o código for aprovado vai sair todo mundo derrubando, como se o código autorizasse isso. Pessoal, se liga...comida não nasce no depósito do supermercado e outra se querem preservar o meio ambiente, comecem exigindo tratamento do esgoto de suas cidades pra não deixar cair M#$@# no rio.
Tiago disse…
Sebastião.... há 1 milhão de anos quantos habitantes tínhamos no planeta? Hoje temos 7 BILHÕES! Esse pessoal não faz fotossíntese! Manda consultar os animais do planeta então...mas pede para que eles leiam antes o novo código pra não falar bobagem.
Ciro Siqueira disse…
Caro Baroboza,

Tenho mta dificuldade de entender esse teu português rocambolesco, mas amos lá.

O Artigo que vc cita não fala em nenhum lugar que novos desmatamentos são permitidos. Muito pelo contrário, o artigo fala em obrigação de recomposição.

O artigo a que vc se refere trata apenas de APP. Não faz qqr referência a RL.

Vc tem diversar certezas e quase todas elas erradas. Eu não to esperando nda para desmatar coisa nenhuma. Nunca estive.

Não sei de que cientistas vc está falando. Se é do relatório da SBPC lá não tenham nenhum cientista que desenvolveu técnica nenhuma para agricultura. Lá tem biológos falando de economia, climatólogos falando pedologia e outras autoridades falando de áreas da ciência que não são as suas.

Quem está com idéia fixa aqui é vc. Nesse artigo que vc cita nao há liberação de nenhum desmatamento.

Vai lá procurar outro, vai. O desafio está de pé.
Flávia e Wagner disse…
Pensei que você, como biólogo, soubesse que temos tecnologia para fazer restituição de imagens através de sensores que usam como plataforma os satélites, com boa resolução espacial, há mais de uma década e de graça, no INPE. Portanto, Bruno, é possível sim estabelecer quem estava em tal situação até determinada data, ou seja, o marco temporal do decreto do Minc.

Wagner Salles
Tuflos Andros disse…
ô Ruy, vc é ruim d+++
Vc não lê, boceja!
Vc, digamos assim, acha que arroz dá mesmo em gôndola de supermercado, né?

Plante abobrinha, dá rapidinho! No sentido real e metafórico.
ruy edson disse…
Ô, Tuflos,

o convite para conhecer e me ajudar na propriedade vale pra você também.

Se você achar uma barata cascuda aqui pode aplicar inseticida.
sebastiao alvaro disse…
a natureza só atrapalha o progresso. Temos de cortar todas as árvores para abrir espaço para os tijolos, cimentos e asfalto, afinal, nós precisamos progredir, desenvolver, evoluir, e mato não serve pra nada. VIVA O TIJOLO, O CIMENTO E O ASFALTO, FORA COM AS MALDITAS ÁRVORES
O elefante disse…
Não acredito que encontrei um blog tão ridiculo. Realmente nao acredito. Estou indignada. E nao são mimadinhos filhinhos de papai, nao. Independente do que eles tem ou deixam de ter, são brasileiros e tem direito garantido por lei de se expressar, exigir o que deseja dos lideres QUE ELES ESCOLHERAM e cobrar que seus interesses sejam contemplados pelas decisões do estado. Na boa, essa mania de chamar de filhinho de papai e coisas do tipo tá ficando tão feia quanto "desce o cacete neles". Por favor, respeito é bom, e a violencia gera apenas coisas como o pais que temos.

Dolorosamente, decepcionadamente, com raivinha na mente...
Giovana - estudante de Ecologia
Tiago disse…
claro que eles tem o direito de se expressar..... só que é sempre bom ler antes de protestar. Adianta eles ficaram revoltados com os textos que tem lido por ai e comentários que são veiculados na tv, se eles nem sabem o que está escrito no texto que está sendo votado? Aí fica um bando de revoltadinhos com os comentários vazios de sempre: "querem acabar com a natureza"; "só quem quer o novo código é latifundiário"; "agronegócio isso, agronegócio aquilo"...... bla bla bla do caramba. O pior é que se eles parassem pra ler um pouquinho e tirar essa venda iriam ver que ficará mais fácil se adequar a lei agora. Mas não... e você é estudante de ecologia...será que alguém iria esperar um discurso diferente?? Quem tá errado é o produtor rural né?