ONGs internacionais dizem que não tem nada a ver com o Código Florestal

Clique na imagem para ver
ampliada
O movimento contra a modernização do Código Florestal liderado por Madre Marina de Xapurí lançou um documento destinado a fazer a cabeça de juventude urbana incauta. O documento tem o título Uma dúzia de 19 (sic) coisas que quero saber sobre o Projeto de Lei 30/2011 que muda o atual Código Florestal.

A sétima dessa dúzia de dezenove coisas é: "7. Por falar nisso, o que ONGs internacionais têm a ver com isso?"

Sabe qual é a resposta? Pasmem. Segundo o documento a resposta é NADA. O movimento da Dona Marina Silva diz que as ONGs internacionais não têm nada a ver com a reforma do Código Florestal. Você acredita nisso? E vão mais longe. O texto diz ainda: "as mais de 150 organizações que coordenam o Comitê Brasil em Defesa das Florestas e do Desenvolvimento Sustentável contra o Projeto de Lei são todas da sociedade civil brasileira: CNBB, OAB, CUT, Via Campesina e as várias entidades ambientalistas nacionais."

Mas de acordo com o próprio site do movimento (clicando em Quem Somos) um dos seus coordenadores é a coalização SOS Florestas da qual fazem parte o Greenpeace, o WWF e um punhado de outras ONGs fartamente financiadas por fundações norte americanas e europeias.

Raparem como as grandes ongs se esforçam para esconderam não apenas suas intenções, mas elas mesmas.

Comentários

Tiago disse…
hahahaha coerência, a gente vê por aqui....
Luiz Prado disse…
Eles mentem DESCARADAMENTE. Perceberam, tarde demais, que a exposição de ONGs gringas - nem tão "internacionais" assim, mas representando interesses de multinacionais e de governos estrangeiros - foi danosa para a causa da imobilização da produção agrícola e do território brasileiro. Vale citar o poeminha de Jacques Prévert: "Não se pode deixar o mundo mental brincar com fósforos/Porque quando deixado só/O mundo mental mente/Monumentalmente".
Marcela disse…
Na realidade galera, uma coisa eu concordo, acompanhei as audiências públicas e não vi a participação como deveria dos parlamentares, não há como decidir sem debater, um assunto como esse tem que ser bastante debatido para se chegar a um melhor resultado, é isso que defendo, tem que haver a reforma, porém, essa deve ser responsável, ha muitas coisas em jogo.
O VELHO CÓDIGO FLORESTAL VIROU UM TRAPO EM CONSEQUÊNCIA, EM PARTE, DA DA INFLUÊNCIA DESTAS ONGs. INTERNACIONAIS DO INFERNO, AGORA QUEREM TIRAR O CORPO FORA!
Caio Mendes disse…
Esse tema precisa ser mais debatido, esse é um fato que n dá pra discordar. O novo código florestal mexe com a vida futuro do Brasil, portante não podemos simplesmente deixar que seja aprovado sem um debate amplo e coerente, eu so contrário a esse novo código.
Ciro Siqueira disse…
Claro que dá para discordar. Eu discordo.

Esse tema vem sendo debatido no Congresso nacional a três anos. Esse blog existe a cinco anos. Minha tese de mestrado existe a sete anos.

O fato de uns e outros estarem acordando agora para esse problema não significa que ele não tenha sido debatido.

O fato de alguns pontos de vista terem sido superados não significa falta de debate.
antonio disse…
Independente de quem esteja envolvido, acho que o código florestal deve ser melhor discutido.