Código Florestal: @Imazon faz mais uma descoberta impressionante

New wheel
De acordo com novo estudo feito pela ONG de fundamentalistas de ½ ambiente Imazon, em outros países também tentam esculhambar sua agricultura com leis ambientais bisonhas como o Código Florestal. "Descobriu-se que no Paraguai, por exemplo, uma porcentagem deve ser preservada em cada propriedade rural, independente de sua área", pontuou a professora de direito ambiental da Universidade de São Paulo (USP), Ana Maria de Oliveira Nusdeo.

No caso da legislação paraguaia, a parte preservada de ser de 25% do total da área. No estado australiano de New South Wales, por exemplo, se exige um plano de supressão da vegetação indicando a área que ficará preservada, com índices normalmente superiores a 20% do tamanho total da propriedade. No estado da Califórnia, nos Estados Unidos, para se obter uma autorização de novos desmates, deve-se demonstrar que o propósito é de interesse público. Nesses casos, a obtenção de autorização de desmate será anulada caso as áreas sejam consideradas inadequadas.

O estudo do Imazon e Proforest nasceu de uma dúvida que surgiu numa reunião do Greenpeace. Será mesmo verdade que o Código Florestal, com as restrições que querem flexibilizar, só existe no Brasil, como a jabuticaba?

O estudo traz estatísticas e constatações. A primeira grande constatação é que as reuniões do Greenpeace não servem pra nada; a segunda é que produtor rural é perseguido pelo fundamentalismo ½ ambiental no mundo inteiro; a terceira é que o zambientalistas estão mais perdidos do que cego em tiroteio. Eles não sabem mais o que fazer para sustentar o insustentável.

Um comentário:

Luiz Henrique disse...

Quando as crianças não fazem o que os pais mandam a mesada diminui.