Sobre a manifestação dos ambientalistas

Durante o mestrado, na Universidade de Brasília, tive um grande professor de economia, professor Pedro Zucchi. Entre muitas outras coisas professor Pedro me ensinou a diferença entre os conceitos de envolvido e comprometido. Ele usou uma metáfora para explicar a diferença. Ele me disse que, no filé-a-cavalo, o cavalo está apenas envolvido, quem está comprometido é o filé do boi e o ovo da galinha. Professor Pedro Zucchi é um grande professor.

Nesta quinta feira os ambientalistas estão fazendo uma manifestação contra a modernização do Código Florestal. Nos darão outra grande metáfora para explicar a diferença entre envolvimento e comprometimento. As ONGs se aproveitaram de uma manifestação já programada pelo MST. O MST, sem credibilidade, sem bandeira e sem militância, resolveu juntar meia dúzia de gatos pingados contra os "agrotóxicos". As ONGs manobraram o MST a mudar o foco da passeata dos "agrotóxicos" para o "Código Florestal". O MST aceitou, contra os "ruralistas" vale qualquer coisa, até atirar no pé nos assentados.

Madre Marina de Xapurí não estará no evento. Estará em New York palestrando para novaiorquinos. Mas está convocando a "militância" ambientalistas para engrossar a passeata dismórfica no MST. Não vou me surpreender se aparecerem por lá a Cristiane Torloni, o Vitor Fasano, o Bono Vox e o James Cameron. Estudantes universitários, padres, pescadores e atingidos por barragens devem aparecer por lá. Sabem o que todas essas pessoas têm com o Código Florestal?

Assim como o cavalo do filé-a-cavalo, eles estão só envolvidos com o tema. Quem está comprometido mesmo é o produtor rural. É muito fácil militar por leis que outros se esfalfarão para cumprir. A Cristiane Torloni, o Vitor Fasano, o Bono Vox, o James Cameron, a Madre Marina de Xapurí, os padres, os universitários, o Raul do Valle e os ambientalistas, não virarão criminosos no próximo dia 11 de junho. Eles não serão multados por falta de Reserva Legal, nem perseguidos pelo Ibama por falta de APP. Logicamente, se os produtores rurais brasileiros debilitarem a agricultura nacional para recuperar RL e APP, Torloni, Bono, Fasano, Raul do Vale, Madre Marina de Xapuri e os outros, ficarão bem felizes e confortáveis em um planeta com um grande jardim.

Ir para a rua exigir um mundo melhor, mais preservado, empurrando o ônus desse melhoramento para "o outro" e se eximindo de arcar com sua parte, é bastante confortável. Se eu fosse a Cristiane Torloi eu atenderia à convocação de Madre Marina de Xapurí e iria à manifestação das ONGs, ainda choraria lágrimas de novela na frente da primeira câmera que eu visse exigindo o arquivamento do Relatório de Aldo Rebelo. É legal lutar pelo bem quando a gente só fica com o benefício e a parte dura fica lá com os "ruralistas". Afinal, preservar meio ambiente no dos outros é refresco.

Comentários

Luiz Henrique disse…
Será que a Cristiane Torloni, o Vitor Fasano, o Bono Vox e o James Cameron deixaram 20% das áreas que tem nas cidades para Reserva Florestal?
Ana disse…
Alguns artistas, por viverem interpretando personagens fictícias, vivem num mundo irreal que acabam saindo da própria realidade e se confundindo entre o real e o ilusório.Daí compreender a razão de não apoiarem os ruralistas, pois estes vivem com os pés no chão.
GEASA disse…
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Luiz Prado disse…
Diante dessa turma nauseabunda, vale ver George Carlin em

http://www.youtube.com/watch?v=X_Di4Hh7rK0
Leo disse…
Se eu tivese dinheiro, cometeria diversos crimes, depois comprava uma bancada de deputados e mudava a lei. como não tenho... Já os defensores do agronegócio tem bastante, além de pagar a campanha de muitos deputados, pagam milhoes para levar o pessoal dar um passeio em Brasília, ficar num hotel bacana, e de quebra fazer uma manifestação a favor do novo código.
Leo disse…
Um detalhe importantíssimo. Todos nós, estamos no mesmo barco, quando ele afundar vai todo mundo pra água, o cavalo, o ovo e o boi.
Luiz Henrique disse…
Vejam qual é a democracia de alguns:
- MST e ONGs podem ter condições de fazer protesto em Brasília, agricultores não!
Palamordedeus!!!!!
Luiz Henrique disse…
Vejam qual é a democracia de alguns:
- MST e ONGs podem ter condições de fazer protesto em Brasília, agricultores não!
Palamordedeus!!!!!
Leo disse…
Democracia envolve o conceito de direitos iguais para todos não é caro Luiz Henrique? O MST e as ONG's não dispuseram de milhões de reais para levar os manifestantes para Brasília, como possuía os agricultores levados à capital pela CNA, logo ou sua comparação é muito rasa ou não conhece bem o conceito de democracia.
Selso disse…
O tal do Leo fantasia coisas e não enxerga outras. Não enxerga, por exemplo que o MST, ONGs e cia estão SEMPRE em Brasília! e que os produtores rurais só dão as caras quando a coisa pende para o inviável!!
Quanto às fantasias, dá pra dar uma desculpa, afinal nos engambelaram por anos com o tal conceito de "latifúndio", inventado por monarquistas e recauxutado por comunistas !!
Já que o companheiro Leo não quer ver o barco afundar, poderia começar a contribuir para algum fundo-natureza doando algo como 50% (algo médio, nem 20, nem 80%) do seu salário todos os meses com querem que os produtores façam!
Topa Leozão?
Luiz Henrique disse…
Sei tanto de Democracia e dou tanto valor a ela pelo simples fato de ter vivido as injustiças cometidas pelo militares contra minha família, disse família, não parentes, pela luta pela democracia meu avô ficou encarcerado em 1965 e nos ficamos tempo sem saber se estava pelo menos vivo, este meu avô era fazendeiro, sempre lutou pelo Brasil e seu povo, hoje se vivo seria simplesmente chamado de “Ruralista”. Meu caro Leo, este “conceito de direitos iguais para todos”, para mim vem do berço e do sangue e é por isso que luto, é por isso que não acho justo somente os agricultores pagarem pelo ônus da conservação de um bem de todos.
Ana disse…
O Brasil está perdendo a soberania por dar ouvidos aos que vêm de fora dar palpites, de má fé, sobre o que é nosso. Já estão pregando a idéia de que comer insetos é bom pois contém proteínas e é sustentável, ou seja, um boi por um inseto.Um país rico como o nosso não precisa passar por esta miséria e nem por este insulto.Também, estão pregando a luta de classes, quando a nossa luta é pelo progresso e o direito de administrar o que é nosso e não tomar o que é alheio. Grilos, baratas,ratos e outros insetos ficam para aqueles que são contra a agricultura comerem que é o que merecem por serem tão estúpidos e ignorantes.Haja,capim, grama e inseto para alimentar tantos burros que é a reserva que lhes cabe.
Leo disse…
Talvez, os senhores tenham razão. Talvez as maiores autoridades da ciência brasileira estejam enganados e os senhors certos. Será mesmo? Os senhores só estão pensando no própro bolso, e de forma mesquinha. Selso, cerca de 3% do total das propriedades rurais do país tem mais de mil hectares e ocupam 56,7% das terras agriculturáveis (dados do IBGE), será que latifúndio é mesmo uma invenção de comunista comedor de criancinha? O Sr, como proprietário de terras, deveria saber que os 20 a 80% de reserva legal da sua fazenda (se é que ela está de pé) ajudam a proteger a sua própria terra da erosão, fazem a reposição de água para o lençol, entre outros serviços ambientais. E além do mais, talvez os srs não saibam, mas hoje pode-se fazer recomposição da reserva legal com madeiras de lei, e através de um manejo, tornar a RL lucrativa, produzindo até mesmo madeiras nobres. Será mesmo que ela é um entrave ao desenvolvimento da sua fazenda? E Ana, rato não é inseto tá?
Ciro Siqueira disse…
Nem sempre, meu caro. Mas obrigado pela censura e por sua participação no blogg.
Leo disse…
Este comentário foi removido pelo autor.