Jornalismo Engajado: Jornalista usa máquina Global para fazer lobby pro ONGs

Não, caro leitor, dessa vez não foi a já tarimbada Miriam Little Hog. Dessa vez foi outro jornalista cuja imparcialidade morreu em nome do honroso intento de salvar o mundo, vejam essa reportagem do Jornal das Dez, da Globo News.
Há dois pontos importantes nessa reportagem, o primeiro é a ministra do 1/2 ambiente, Izabella Teixeira, dizendo que o governo não vai adiar o decreto de criminalização da produção rural. Você já viu aqui no blogg um diretor do Ibama dizendo que o pau vai comer e o Ibama vai continuar multando e embargando as propriedades (clique e leia novamente).

O segundo é o André Trigueiro escondendo os problemas de aplicação da lei e aterrorizando o especador com o relatório da ANA. É claro que preservar as APPs é importante. O problema, que o engajado e parcial jornalista esconde, é como fazer isso sem phornicar os ribeirinhos.

O nível do jornalismo da Rede Globo está no limbo com gente engajada como Trigueiro e Miriam Baby Pig.

Comentários

Ciro Siqueira disse…
Não sou jornalista. Buscar a imparcialidade não está no meu juramento profissional. Esse blog tem um posicionamento claro. Você pode ter ou não ter um, concordar ou não com ele.
Não vou fazer publicidade forçada para o blog de ninguém que não seja parceiro.
Vire-se para arrumar seus próprios leitores.

Em tempo, esse comentário é direcionado. Tem um desocupado me perturbando com a própria loucura via comentários. Peço que compreendam.
Braso disse…
O medo do código florestal atual os produtores como no meu caso já não tem mais medo, dai para frente é perder o respeito, mas como Brasileiro prefiro a legalidade que esta nas mãos do congresso que é aprovar o relatório do Deputado Aldo Rebelo, ai realmente teremos a paz no campo e comida na mesa dos Brasileiros e no resto do mundo, estão vendo como é fácil.
capitu disse…
Interessante falarem em ribeirinhos, comunidades tradicionais que NÃO SÃO BENEFICIADAS PELA PROPOSTA DO NOVO CÓDIGO!! MAS SÃO PELO ATUAL. Se a justificativa de alteração do código é tornar legais os crimes ambientais, não seria então justificável alterar o código penal de de trânsito, já que ambos também não são cumpridos? Afinal, as pessoas continuam matando!! E isso é considerado um crime! Aliás, também é um crime colocar em risco a qualidade das nossas águas, através da redução de APPs e de reserva legal, área de recarga de aquíferos... colocando em risco a saúde humana, além da biodiversidade e a própria produção agrícola (tão defendida por vcs ruralistas. AH, mas já não serão crimes, com as alterações do código!!!!
Ciro Siqueira disse…
A justificativa pra a reforma do Código Florestal vigente não é tornar legal os crimes ambientais.
É não tornar crime práticas que foram incentivadas pelo governo no passado.
Diferentemente do que ocorre com os crimes previstos no Código Penal, grande parte dos "criminosos" do Código Florestal nunca cometeu crime nenhum.
É importante lutarmos pela preservação ambiental, mas é tb importante estarmos preparados para isso.
Informe-se melhor.