Código Florestal: Este blogger desafia Izabella Teixeira

Caros, na semana passada houve um colóquio no Conselho de Desenvolvimento Social, ligado à Presidência da República, sobre o Código Florestal. A Ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, fez a seguinte apresentação (clique para fazer o download). Na apresentação da Ministra há o seguinte slide:

Eu DESAFIO a Ministra Izabella Teixeira, ou qualquer ambientalista, ativista, economista, pugilista, matemático, xiita ambiental, qualquer um, a fazer uma análise econômica desse sistema de produção. Se isso der viabilidade econômica considerando as alternativas de uso disponíveis, eu tiro esse blog do ar. Agora, se não der, eu quero poder publicar aqui um reconhecimento de que isso é um sofisma, no máximo, uma hipótese não comprovada e quero uma retratação pública de quem topar o desafio.

Quem se habilita?

Comentários

Wilson Velasco disse…
Essa ministra, coitada, como todo o Governo petista, joga pra platéia, mentir faz parte deste jogo sujo.
Luiz Henrique disse…
Barbaridade!!! No logotipo do Governo menciona que “País Rico é País sem Pobreza”, sensacional, finalmente descobriram isto, é importante que divulguem ao resto do mundo, acho que a ONU não esta sabendo disso, com esta descoberta finalmente teremos dois prêmios Nobel, o de economia e da paz. Viva!! Viva!! Viva!!!!!
Quanto as Reservas, este aproveitamento proposto não é econômico e sim Eco-Mico.
Ciro Siqueira disse…
Prezado Wilson,
Agradeço o seu comentário e sua participação aqui no blog.
Mas aqui precisamos ter um certo cuidado.
A ministra Izabella, assim como a maioria absoluta dos ambientalistas, acredita piamente que o slide acima encerra o assunto.
Meu desafio é uma tentativa de fazê-los pensar. Se eles conseguirem fazer um análise isenta enxergarão o obvio.
Eles só não enxergam, porque crêem que o Código Florestal assim como um católico crê na Bíblia. Por essa razão eles sempre justificam a lei e nunca a questionam.
Eu joguei um isca à razão. Vamos ver se alguém morde.
Eu confio na Min. Izabella. Acho que ela é mais técnica e menos crédula do que qualquer outro Ministro do meio ambiente que já tivemos.
Ana disse…
É preferível a dureza de uma lei imparcial, porém justa, que a desonra que cobre o infrator de leis nascidas na escuridão das circunstâncias e conveniências, porque parcial. Esta, se o tempo se encarrega de revertê-la nos tribunais, não reverterá no coração daquele que a infringiu, que carregará o tempo de vivê-la eternamente, porque curta é a vida, grande é a ofensa. Que o novo código florestal tenha como princípio a decência, justiça e ética que devem nortear toda e qualquer lei. Julga-se um país pelas leis que executa e nisto transparece sua riqueza ou pobreza. Brasil, um país de todos. Será?
Ana disse…
É preferível a dureza de uma lei imparcial, porém justa, que a desonra que cobre o infrator de leis nascidas na escuridão das circunstâncias e conveniências, porque parcial. Esta, se o tempo se encarrega de revertê-la nos tribunais, não reverterá no coração daquele que a infringiu, que carregará o tempo de vivê-la eternamente, porque curta é a vida, grande é a ofensa. Que o novo código florestal tenha como princípio a decência, justiça e ética que devem nortear toda e qualquer lei. Julga-se um país pelas leis que executa e nisto transparece sua riqueza ou pobreza. Brasil, um país de todos. Será?
Luiz Prado disse…
SUPOR QUE ALGUÉM QUE APRESENTA UMA DEFESA TOTALMENTE SEM FUDNAMENTOS DO EXTRATIVISMO MALUCO QUE "PROVAR" ALGUMA COISA COM BASE EM DADOS REAIS É UMA DEMONSTRAÇÃO DE OTIMISMO. NÃO SE TRATA DE "PROVAR" NADA, MAS DE UM SIMPLES RASTEJAR DIANTE DE GRUPOS DE INTERESSE. ESSA PAROLAGEM TODA AJUDA UM BOCADO A ESCONDER O ESTRONDOSO FRACASSO DAS POLÍTICAS DE GESTÃO AMBIENTAL BRASILEIRAS! OU ALGUÉM JÁ OUVIU FALAR DE ALGUM RIO CUJA QUALIDADE DA ÁGUA MELHOROU COMO DECORRÊNCIA DE POLÍTICAS AMBIENTAIS.

NUM GOVERNO QUE CONTINUA A CAFETINAR A ESPERANÇA DO FIM DA MISÉRIA E ADOTA UM SLOGAN TÃO MARCADO PELO SOFISMA QUANTO "PAÍS RICO É PAÍS SEM POBREZA" (QUE POBREZA!), VALE TUDO. SERÁ QUE UM DIA O CARA QUE SAIU DO LIMITE ARBITRÁRIO DA LINHA DE POBREZA VAI MESMO SE ACHAR RICO SÓ POR ISSO?
Ciro Siqueira disse…
Ouço o silêncio que me lava a alma.
Ouçam o silêncio, camaradas!
.
.
.
.
.
Caros,

Ontem estive no Canal Rural, para comentar uma reportagem que fizeram sobre um projeto do ITESP, em andamento em São Paulo, para plantio de pupunha em apps nos assentamentos.

Evidentemente, ninguém vai viver disso (a não ser o técnicos do ITESP) e a reportagem mostra isso na entrevista de um assentado que fala que está feliz com as diárias que está ganhando do ITESP para plantar no próprio lote. (um absurdo esperado!)

O que mais choca, no entanto, é como a lei ambiental pode ser uma para uns e outra para os outros. Temos que bater nessa absurda distinção entre pequenos, grandes, micros, etc.

Abs!
É difícil competir com pessoas que jogam sujo. pessoas que se pautam no argumento de preservar o meio ambiente só porque está em evidência. Desde de pequeno me ensinam que o papel aceita tudo (até apresentação de ministra perdida), qualquer projeto pode se tornar viável no papel, mas a nossa realidade é bem diferente. Os ambientalistas querem transformar o Brasil numa imensa floresta e acabaram criminalizando produtores rurais.
Parabéns ao autor do post. Tomei a liberdade de "linkar" o blog ao meu. Sucesso!
Carlos André disse…
O pior dos ambientalistas que julgam-se conhecedores de causa, é terem certeza de que sabem tudo. Por isso temos leis no Brasil inaplicaveis que ficam perdidas no tempo, apenas para inglês ver.

Reforma Já!