PT contra Relatório de Aldo Rebelo

O relatório de Aldo Rebelo que altera o Código Florestal já tem data para ser votado, em março, garante o presidente da Câmara dos Deputados, Marco Maia. Segundo o jornal Tribuna do Norte, as propostas de mudança não contam com o apoio da bancada do PT, que deve se aliar aos ambientalistas na defesa de um relatório alternativo. Na contramão do tenso enfrentamento que tem ocorrido no Congresso em torno desse tema, Maia diz que essa “é uma matéria tranquila”.

Os ambientalistas das ONGs estão articulando com os ambientalistas do governo entrincheirados no MMA um voto em separado que apresentará um texto alternativo ao Relatório de Aldo Rebelo. O governo tem maioria absoluta no Congresso e pode impor, novamente, aos produtores o texto dos ambientalistas. Guiar o PT contra o relatório é um indício desse movimento do governo.

O texto do governo não reconhece os conflitos de aplicação do Código Florestal no mundo real. A turma do MMA acha que destruir áreas agrícolas para reconstruir por engenharia florestas origianias é bom para a sociedade. O texto deve vir baseado na construção de facilidades para a aplicação da lei atual. O governo acha que passar uma vaselina no Código Florestal vigente fara com que os produtores o aceitem melhor.

A única forma que os produtores têm de mudar essa pauta beócil é ir para as ruas, falar diretamente à sociedade urbana, mostras aquilo que os ambientalistas do governo e de fora dele são incapazes de enxergar: que o Código Florestal não é a melhor maneira de se conseguir um meio ambiente ecologicamente equilibrado.

Comentários

Selso disse…
Esta é a "dialética marxista" da esquerda.
De um lado apóia, de outro derruba.
É tudo jogo de cena para chagar ao objetivo : o comunismo!

Ou o Aldo Rebelo tem consciência disso ou ele é
(como dizia um ex-agente da KGB)
um "idiota útil".

Segundo este agente (Yuri Alexandrovich Bezmenov), depois de instalada a revolução estes eram os primeiros a serem mortos!!


Abram o olho!