Excelente iniciativa da Basf

Boas festas e que o ano de 2011 seja repleto de prosperidade e vitórias.

Comentários

Luiz Prado disse…
MUITO BOM!!! PÁRABÉNS, CIRO, POR SUA LUCIDEZ, POR SUA CORAGEM, POR SUA VISÃO E POR SUA LUTA!
ELSON disse…
Achei o vídeo incrivel e comentei com meu filho, bacharel em matemática, pela UFPR. Ele foi radicalmente contra! Ele considera que a sociedade tem a visão de que a palavra "agricultor" se refere àquele que que lavra a terra, e não aquele que se dedica à agricultura. E neste sentido o video peca por não ressaltar o esforço do conjunto "lavrador/agrônomo" desmerecendo a profissão e incentivando, a quem vê o vídeo a ser aquele que lavra a terra. A principal frase que discordou foi aquela em que devemos agradecer ao agricultor. Embora eu tenha entendido que a intençao do vídeo foi a de ressaltar o conjunto de profissionais que se dedicam a agricultura, ele com visão de futuro cientista achou que seus colegas cientistas foram desprestigiados! Ai surge a minha pergunta: quantas pessoas poderão interpretar este vídeo da mesma forma? Sou profissional da educação e tentei explicar que esse vídeo poderia ser explicado em todas as disciplinas ressaltando a aplicabilidade de cada uma, com o que ele concordou, mas ressaltou que a interpretação depende de quem vê o video. Entretanto, minha visão é diferente, e que o vídeo é educativo. Peço que pensem nessa possibilidade de interpretação do meu filho, pois os agrônomos e cientistas agriculas têm de ser valorizados.
Ciro Siqueira disse…
Caro Elson,

Eu sou engenheiro agrônomo e me senti totalmente incluído no texto abaixo.
Não creio que o vídeo possa ser simplificado numa apologia a quem lavre a terra apenas.
Minha leitura é de que o vídeo é uma mensagem de quem produz alimentos a quem apenas os consome desconhecendo como eles são produzidos, de onde vêem.
Creio que o melhor dele seja a iniciativa. Isso é uma apresentação em flash player, com R$ 500,00 e uma idéia na cabeça qualquer um de nós pode fazer um vídeo desses. O ambientalismo faz isso muito bem, os produtores não.
Se os produtores fizessem rotineiramente vídeos assim, ou com a visão que o teu filho teve, ou com qualquer outra visão que mostre à urbe o que se faz no campo, talvez nós fôssemos, no geral, avaliados de outra forma.

Abs,
Ana disse…
Concordo com Ciro! Se os agricultores pudessem fazer filmes assim com precisão, eles não seriam agricultores, quem sabe...cineastas.hahahahahahahahaha
Ana disse…
Em tempo.Todo agrônomo e cientistas agrículas devem ser valorizados, sem eles, a agricultura fica à mercê de pessoas que podem entender sobre outros assuntos, mas de terra, quem entende são os profissionais citados.
ELSON disse…
Ja comentei com Ciro exatamente o tema comentado por ele acima! Ou seja, os agricultores são quase mudos, os ambientalistas não! Ruralistas são radicais, as vezes! Se todos que, como Ciro, tivesse possibilidade de atuar em defesa da natureza com bom senso, não precisariamos de agricultores cineastas, mas de ONGUEIROS conscientes!
Ana disse…
Oi, Elson! Sou ruralista e não me sinto radical. Será?Quanto à mudez dos agricultores, pensemos. Enquanto eles estão na lida da terra gerando produção de alimentos para a massa,debaixo de sol escaldante,e não atrás de uma mesa lidando com papéis, com mãos finas e delicadas,é justo que pessoas conscientes interfiram nesse processo se algo os prejudica,até mesmo como forma de gratidão a todos os agricultores, não só do Brasil, mas do mundo .Um agricultor é cineasta por natureza,quando escreve seu filme com sua própria estória de luta e valentia, em condições, muitas vezes ,precárias,com suor misturado a poeira sobre o corpo e, ainda que mudo,reflete, não em telas,mas em pratos cheios sobre as mesas.Pratos vazios nos remetem aos horrores da fome em alguma parte da África, ou às vítimas da seca do nordeste...Isto nos faz tirar o chapéu para eles em forma de respeito e gratidão pelo alimento do dia. Quanto à voz, essa é muito bem representada aqui nesse blog, pelos senhores, todos justos e conscientes, tendo como líderes, Ciro Siqueira e Luiz Prado. Um beijo a todos.