Reforma agrária e crime ambiental

Na manhã de hoje, segunda-feira (18), policiais militares aplicaram o total de R$ 43 mil em multa por crime ambiental, no assentamento terra Solidária, em Sidrolândia.

O assentado Nelson Martins Escalante, morador no lote 09 e Juvenal Bezerra da Silva, assentado no lote 6 do mesmo assentamento cortaram, sem licença ambiental, 32 árvores da Reserva Legal do assentamento. Com eles, foram apreendidos 20 postes de madeira explorada ilegalmente. Nelson foi autuado por crime ambiental e multado em R$ 26 mil, Juvenal, que segundo a polícia, ajudou Nelson a cortar as árvores recebeu uma multa de R$ 17 mil além da autuação por crime.

Se condenados, os assentados da reforma agrária poderão pegar de um a dois anos de prisão.

As informações são do Jornal eletrônico Midiamax.

Comentários

Cris disse…
Sei não posso generalizar, mas a maioria dos integrantes do MST estão no movimento para levar vantagem e não porque realmente precisam da terra para sua subisistencia. Pode se observar pela ultima invasao do movimento nas areas da Veracel Celulose recentemente. Porque invadiram uma área de florestas plantadas ja prontas para abastecer a fabrica?
Floresta é produto com valor agregado. Eles lucraram com isso vendendo a madeira. Realmente quando vejo este tipo de noticia não dá para acreditar muito na causa....