Porcos são presos por crime ambiental

Porco ruralista
O assentado da reforma agrária Edson Francisco da Costa foi autuado e preso por criar porcos sem autorização ambiental. O local funcionava no assentamento Sucuri, que fica próximo á região do Inferninho em Campo Grande.

Policiais militares ambientais encontraram 39 porcos na propriedade de Costa. O lugar ficava PERTO da reserva legal do assentamento. Os dejetos dos animais eram jogados em um córrego que passa pelo local. O agricultor Edson Costa recebeu multa de R$ 60 mil e poderá pegar de 6 meses a 1 ano de cadeia.

Os 39 porcos também foram presos pelo crime de defecar sem licença ambiental e aguardam indicação do judiciário ou do órgão ambiental que determinarão para onde os porcos devem ser levados.

As informações são do portal Aquidauana News

Este blog lança agora a enquete PARA ONDE DEVEM IR OS PORCOS?. Participe. Deixe sua opinião.

Comentários

João Lima disse…
Ao Sr. Edson Costa.

É difícil ser brasileiro, principalmente produtor rural. O país nunca lhe virou os olhos a não ser em dois momentos: na hora de assentar e na hora de multar e prender.

Os algozes seguramente dormiram tranqüilos por terem cumprido a lei. Teriam os mesmos multado quem em primeira mão criou o assentamento, depois assentou e largou o Sr. Edson Costa à própria sorte? Duvido muito.

Um serviço porco condizente com a porcaria da legislação. Assentado não é dono de nada. É somente um posseiro sob a tutela do órgão fundiário.

Por outro lado, quando foi que o órgão ambiental se prontificou a elaborar-lhe o pedido de licença ambiental que lhe é garantido também por lei? A resposta é óbvia, mas ás custas da honra do Sr. Edson Costa.

Procuremos saber se o projeto de assentamento do Sr. Edson Costa tem PDA, PRA e LO em primeiríssima instância. Muito provavelmente não. Como pode ele requerer a licença ambiental se não é o legítimo dono do imóvel? O IBAMA deveria ter multado o órgão fundiário antes de qualquer coisa por não ter feito o pedido de licença para as atividades realizadas dentro do projeto de assentamento.

Por isso, melhor enviar os porcos para Ipanema, porque não haverá problema algum, já que ali a lei não retroage para prejudicar e ainda por cima, que mal fará um grupo turístico de porcos a banharem-se em tão cálidas águas?