Entenda porque o Código Florestal faz mal ao Brasil

Além do custo de
reconstruir a RL
O ano de 2010, pode ser ruim para nossas contas externas, em função do aumento das importações. Mas o país pode ser salvo pelo agronegócio. A exportação de derivados de cana trará US$ 12 bilhões, a laranja, US$ 2 bilhões, a carne bovina, US$ 5 bilhões, o café outros US$ 5 bilhões. Sem mencionar outros produtos como soja, frango, papel e celulose, frutas, couros, milho, lácteos e muitos outros. É provável que o Brasil receba mais de US$ 70 bilhões em 2010 em razão dos produtos agrícolas.

O agronegócio brasileiro vem conquistando respeito internacional. Todos querem saber mais para entender o que fizemos e nossa capacidade de suprir o mundo de alimento e energia renovável de maneira sustentável. Reportagens recentes das revistas "The Economist" e "Nature" ressaltam que a contribuição da agricultura brasileira para a produção de alimentos no mundo.

O agronegócio gera renda para ser distribuída no Brasil. É um setor que merece respeito e admiração.

O texto acima é uma modificação do texto de MARCOS FAVA NEVES, professor titular de planejamento na FEA/USP (Campus de Ribeirão Preto) e coordenador científico do Markestrat, publicado no jornal Folha de São Paulo. Leia o artigo na íntegra: Em ano ruim, agronegócio pode salvar contas externas do país

Comentários

Guilherme disse…
Nós precisamos entender porque o agronegócio é prejudicial para o Brasil. Considerando-se os custos sociais e ambientais empregados na produção, além dos custos aos cofres públicos com indenizações e pagamentos de dívidas (de pequenos e grandes), as "ONG's estrangeiras golpistas" deveriam era comemorar o fato de existir no mundo, países subdesenvolvidos dos quais boa parte de sua população fica feliz em servir de celeiro para o mundo desenvolvido.
Juliano Dobis disse…
Enquanto AINDA existir florestas no Brasil, a agricultura será forte. Depois que as florestas forem todas derrubadas, ato este permitido pelo novo Código Florestal, não haverá mais agricultura neste país. Embora eu veja que a agricultura brasileira esteja no caminho errado, cada vez mais dependente de insumos e na mão de empresas internacionais, vejo ela com bons olhos pois sou dependente dela para me alimentar, me vestir, deslocar, etc. Assim, a ala ruralista não deve ver a floresta e áreas naturais protegidas como empecilho para o desenvolvimento da agricultura, pois sem um meio ambiente em equilíbrio, não há regime normais de chuvas, inimigos naturais para diversas pragas, entre outros benefícios. Não sejam contra o meio ambiente, vocês precisam dele tanto quanto precisam da agricultura.
Ciro Siqueira disse…
Eis aí porque é tão difícil debater racionalmente sobre o Código Florestal.
O Código Florestal não permite a derrubada de todas as florestas como afirma nosso amigo assombrado aí em cima.
Não se está discutido o arranquio de florestas para plantar grãos. Estamos debatendo sobre o arranquio de grãos para plantar mato. Mas o fundamentalismo cega as pessoas para essas pequenos fatos.