O seringueiro e o cowboy

Após a benção do Frei Antonio, em frente ao Mastro da Gameleira, todos os cavaleiros tocaram juntos seus berrantes e deram início a Cavalgada de abertura da 38º Feira de Exposição Agropecuária do Acre, a Expoacre 2010.
Todo ano, a cavalgada na terra do seringueiro Chico Mendes atrai, jovens, adultos e idosos. Famílias inteiras fazem parte dessa festa. É o caso de Paulo Sérgio e o filho, Paulo Sérgio Filho, 8 anos, em sua própria montaria. Mesmo tão jovem, já é a terceira vez que Paulo Filho participa da Cavalgada no coração da Amazônia, quando perguntado sobre quanto tempo o filho já cavalga, o pai responde cheio de orgulho, “Desde que nasceu”.

Quem gosta da vida de seringueiro extrativista é jornalista e ambientalista que vive na cidade. O seringueiro quer mesmo é ser cowboy. O ambientalismo bocó esqueceu de combinar seus delírios com a natureza humana.

Em tempo, enquanto os cowboys cavalgam no coração da Amazônia, a casa onde viveu e foi assassinado o ex-seringueiro acriano Chico Mendes, que havia virado uma espécie de museu, foi fechada para visitação pública. A ONG que tomava conta do local foi acusada de desvio de recursos públicos e teve os convênios governamentais cancelados.

A foto é de Luciano Pontes.

Comentários

Luiz Prado disse…
Um dia eles fazem o tombamento do extrativismo como "bem imaterial". E aí vão querer que os extrativistas e seus descendentes sejam extrativistas para toda a eternidade, criando, assim, um parque temático no Acre. Mas, há que reconhecer, a Disney faria melhor.
Luiz,

Quando eu li Admirável Mundo Novo do Huxley fiquei impressionado com a semelhança entre nossas Resex contemporâneas e as Reservas de Selvagens do livro.
É assustadora a semelhança.
Luiz Henrique disse…
A rapinagem que ocorrem com estas ONGs ambientais é tão grande que até a viúva e filha de Chico Mendes entraram nessa. Foram acusadas juntamente com o genro da viúva pelo Ministério Publico de desvio de dinheiro por intermédio de uma ONG que criaram.
É melhor viver de ONG do que cortando seringa.
Só quem vive de ONG é que briga para que os amazônidas vivam cortando seringa. Quem corta seringa tem outros sonhos.