Notícias ½ ambientais

Pássaro obeso recebe tratamento para emagrecimento

Médicos cobram para furar a fila da cirurgia de redução de estômago pelo SUS

Comentários

catdevrandom disse…
Olá,
creio que seu sistema de RSS está com problemas. Não consigo assinar o feed de seu blog...
Abraços!
v.nardi disse…
É absolutamente absurda a inversão de valores e falta de noção de alguns que se dizem ambientalistas.

Link para a notícia:
http://www.brasilcaminhoneiro.com.br/primeiro-trecho-da-serra-do-cafezal-deve-sair-do-papel/

Depois de quase 20 anos de polêmicas ambientais, finalmente deverá sair do papel uma parte da duplicação da Rodovia Régis Bittencourt (BR-116) na região conhecida como Serra do Cafezal, em Registro.

Este trecho tem um total de 30,5 kms, do km 336,7 ao 367,2.

Mas, só foi concedida a licença ambiental para duplicar uma parte, +- 12 kms, do km 336,7 ao 344 e do 363 ao 367,2.

O restante da pista no trecho de serra, +- 19 kms, do km 344 ao 363, AINDA AGUARDA A LICENÇA DO IBAMA PARA SER DUPLICADO.

A estrada é mega importante e mega movimentada, pois liga o Brasil, desde São Paulo ao Sul e Mercosul via Paraná.

A prefeita de Registro, Sandra Kennedy (PT), lembrou que esta é uma luta de mais de 20 anos, que finalmente começava a se realizar "Quem de nós não tem uma história triste para contar sobre esta estrada. Era preciso que a BR-116 deixasse de ser a estrada da morte", “Só nós aqui do Vale do Ribeiro sabemos o quanto a bandeira pela duplicação da BR-116 fez parte do nosso cotidiano. A duplicação é a defesa da vida, da segurança nessa estrada”, disse a prefeita.

O absurdo é que houve e há manifestações contrárias à duplicação da rodovia. As obras chegaram a ser suspensas por decisão judicial, mas foram liberadas depois de a justiça dar ganho de causa ao Ibama.

Quase todos os dias ocorrem mortes neste trecho da BR116. Quantos seres humanos já foram exterminados pelos acidentes causados pela falta da duplicação?

QUANTOS AINDA SERÃO EXTERMINADOS NO TRECHO QUE NÃO FOI APROVADO?

Não consigo entender como um ser humano que se diz ambientalista, que prega a Sustentabilidade, portanto deveria ser justo e idealista, pode usar uma bandeira boa e decente como a da Preservação de forma tão ruim e errada a ponto de, em nome de Preservar uma pequena parte diante do tamanho da área preservada na região, preferir o extermínio de outros seres humanos.
v.nardi disse…
A BR-116 na altura da Serra do Cafezal: restrições ambientais postergaram a duplicação de um trecho de 30,5 km em uma área de Mata Atlântica.

Segundo a assessoria do Ministério do Meio Ambiente, a licença prévia para a duplicação havia sido concedida em 2002, mas foi contestada na Justiça por entidades de defesa do meio ambiente que são contrárias à obra, já que se trata de um trecho de Mata Atlântica. Em setembro do ano passado (2009), a Justiça deu ganho de causa ao Ibama. Com a medida, o instituto pode expedir a licença de instalação para a execução da obra nas extremidades da serra.

Link para a notícia:
http://www.gazetadopovo.com.br/vidaecidadania/conteudo.phtml?tl=1&id=994520&tit=Fim-do-gargalo-so-em-2013