Fundamentalismo ambiental em polvorosa: relatório americano os deixa de bunda de fora

Um relatório publicado pela União Nacional de Fazendeiros dos Estados Unidos, principal sindicato rural norte-americano, em parceria com o, também americano, grupo lobista Avoided Deforestation Partners (Parceiros para o Desmatamento Evitado), vem provocando fortes reações no Brasil. Quem acompanha o blogg viu que a divulgação do relatório por essas paragens iniciou-se com o post Os Nacionalistas têm razão?.

O relatório "Fazendas Aqui, Florestas Lá” diz que preservar a Amazônia trás uma grande vantagem para os fazendeiros americanos: refrear a concorrência de commodities agrícolas produzidas no Brasil.

O texto do relatório afirma que o desmatamento “levou a uma expansão dramática de commodities que competem diretamente com os produtos americanos” e cita como exemplos o gado e a soja brasileira e o óleo de palma da Indonésia. “Pode-se esperar uma redução na produção desses países como resultado de restrições ao uso de terras e aumento do custo de produção”. Com isso, o faturamento dos agricultores norte-americanos aumentaria em até 270 bilhões de dólares entre 2010 e 2030, afirma o relatório.

Entre as empresas que participam da coalizão Avoided Deforestation Partners estão algumas das maiores empresas poluidoras do setor elétrico americano como a Duke Energy, a PG&E, a El Paso Gas e a American Electric Power que é a maior produtora de energia elétrica a carvão do país. De acordo como o relatório, também participaram do trabalho algumas das principais ONG zambientalistas americanas, as organizações Conservation International, Environmental Defense Fund, National Wildlife Federation e The Nature Conservancy.

O fundamentalismo ambiental e o zambientalistas de ocasião brasileiros estão em polvorosa. Pequenos Sarney até raspou o bigode para parecer outra pessoa. O relatório derruba a máscara de quem faz ambientalismo sem compromisso com as pessoas. O ambientalismo é naturalmente desumano a sociedade apóia porque isso não é claro e todos querem preservar o meio ambiente. Mas quando ficar evidente que o ambientalismo que se pratica no Brasil é contrário ao ser humano o movimento ambiental brazuca passará por um evolução. O relatório ajuda a derrubar a máscara.

Sugestão ao zambientalistas: aprendam a humanizar seu ambientalismo ou vocês se auto extinguirão.

Comentários

Luiz Prado disse…
Agora já sabemos para quem trabalham esses ambientalistas fundamentalistas e essas ONGs gringas que tanto falam em proteção de florestas, em reservas legais e similares - e que nunca mencionam os parques nacionais e estaduais abandonados! Os MUITOS outros que trabalham DE VERDADE, sem patrocínios ocultos, para proteger o meio ambiente, como a Federação Brasileira para o Plantio Direto na Palha que acaba de finalizar sua participação num mega evento sobre essa técnica agrícola, evento patrocinado por Itaipu com a presença de especialistas do mundo inteiro, esses não encontram a mesma repercussão na mídia porque falam do que estão em fazendo e não se limitam a acusar os outros. O que fazem essas ONGs? NA-DA! Nada além de acusar os outros, sem, elas próprias, fazerem ou produzirem nada além de barulho. Elas podiam fazer uma coligação com a denominação de Os Impostores!
v.nardi disse…
O problema é que só os que estão discutindo o assunto sabem disto.

Enquanto não aparecer nas principais redes de televisão, a imensa maioria da população não têm conhecimento.
Braso disse…
Com a persistência como a do blogueiro, chegaremos lá, vamos como uma formiga divulgar em todos fóruns de discussão a verdade sobre a agricultura brasileira.