O império contra-ataca

A Promotoria do Meio Ambiente, ONGs ambientalistas como o Greenpeac e SOS Mata Atlântica, o MST e a USP promovem na próxima sexta, 29 de janeiro, na Câmara Legislativa de Ribeirão Preto um ato público contra a reforma no Código Florestal.

Em Ribeirão, vai acontecer no próximo dia 3 uma das audiência públicas da comissão especial da Câmara dos Deputados que trabalha construção do Código Ambiental Brasileiro.

Comentários

Luiz Henrique disse…
Acho muita ignorância por parte destas entidades, ou má fé, talvez um desvio de causa ao serem contra mudanças?
Por quê?
Para proteger o meio ambiente?
– Mas estas mudanças têm que serem feitas para justamente o proteger e também ao produtor.
Ou do jeito que esta, esta bom? Esta havendo preservação? O produtor esta satisfeito?
É lógico que a resposta é negativa!
Estas ONGs não querem resolver o problema, quando este estiver resolvido, não existirão mais motivos para a existência destas, ai a “mamata” acaba.
O MST, é atualmente, o maior destruidor de florestas, não para fazer a terra produzir, mas para vender madeira e gerar recursos para novas invasões.
E a Promotoria, o que quer? A implantação definitiva da indústria da multa?
Quanto a USP, não creio que esta estará lá representada, o que poderão comparecer, são alguns “melancias” (verdes por fora e vermelhos por dentro) que querem mudanças em tudo, menos ao que seja para melhorar a economia.
É preocupante quando promotores e bandidos do MST ficam em um mesmo lado, quem esta sendo pago para defender os direitos da sociedade esta se alinhando a quem é contra estes direitos. LAMENTAVEL!!!!!!!
Será que os produtores vão estar lá brigando pelos seus direitos ?
Luiz Henrique disse…
Ciro,
Imagine uma terra que vale R$ 50.000,00/ hectare, agora imagine quem possua 100 alqueires desta terra e ter de transformar 20 em capoeira.
Você acha que os proprietários de Ribeirão Preto vão deixar seu patrimônio nas mãos dos melancias?
Só se forem loucos!
Pode ter certeza que o comparecimento será maciço.