Enquanto Marina Silva, José Serra e Dilma diz abobrinha

A senadora presidenciável Marina Selva, considera que o Brasil pode colaborar para o fundo global de combate às mudanças climáticas. Marina sugere que o Brasil entre com 1 bilhão dólares. O governador presidenciável José Serra tem a mesma posição. Já a ministra presidenciável Dilma Rousseff diz que seus oponentes não sabem fazer cosquinha. De onde você acha que o Brasil deve tirar esse bilhão?

(a) Das obras de infra estrutura;
(b) Do orçamento da educação;
(c) Do orçamento da saúde;
(d) Do orçamento da segurança;
(e) Detesta admitir, mas Dilma tem razão.

Comentários

Luiz Henrique disse…
Caso na versão 2010 do Código Florestal brasileiro, continue com esta absurda imposição obrigatória de Reserva Legal em propriedades particulares, acho que o Brasil não pode nem deve contribuir com este fundo e sim receber do resto do mundo e também implantar o imposto ambiente para a população e repassar tudo aos proprietários de florestas. Já que é um bem para todos, todos devem pagar.
Será que os ambientalistas concordam?
Matheus Braz disse…
Acho que a Dilma, quando falou que 1 bilhão não faz nem cosquinha em relação sugestão da Marina Silva, que ao defender esta proposta afirmou que se um país emergente como o Brasil colocasse 1 bilhão no fundo, os países ricos se sentiriam envergonhados e encheriam o bolo. Se o governo tivesse aceitado esta sugestão, eu arrisco dizer que, Copenhagen poderia fracassar em um acordo de por limites nas emissões de carbono, mas estaria saindo com um fundo de combate às mudanças climáticas bem gordo, podendo o Brasil receber até mais que um bilhão... Concerteza a senadora Marina Silva era a única que não falava abobrinha... eleitores, prestem mais atenção nas propostas inteligentes da senadora!
Luiz Prado disse…
Luiz Henrique - "zumbiantlista" brasileiro não concorda com a existência do ser humano.

O bilhãozinho à tôa pode ser tirado do bolsa família. Ou criando uma Contribuição Permanente Sobre o Bolso dos Produtores, a ser paga em espécie, sob pena de mandá-los para o tronco.
emanuel disse…
Concordo plenamente com Luis Henrique em seu comentario de 20/12/2009. O Brasil (nós, impostos) pagar? Nada disso, os produtores, donos das areas que hoje nos esta sendo confiscada, temos é que receber por serviços ambientais. E o Brasil (país) recebe pelas areas de reserva públicas ou seja cada dono recebe a sua parte... Essa de impostos ambiantal para toda a população contribuir é boa... vai ter muita gente desistindo de ser ecochato...
Matheus,

Você não disse de onde acha que a Senadora deveria tirar o dinheiro, filho. Pensa um pouco sobre isso. Pensar é sempre bom.
Luiz Henrique disse…
Matheus, você acha realmente que os países ricos se sentirão envergonhados por algo? Vergonha é sentimento terceiro-mundista.
Se fracassou um acordo de limites nas emissões de carbono, este se deu por questões financeiras, se o Brasil fosse o primeiro a fazer doação para um fundo de combate as mudanças climáticas, ficaria com a mesma cara de bobo de quem fez a primeira doação para o “Fome Zero”, placar: Fome 0 x Demagogia Barata 10.
Matheus Braz disse…
Realmente é muito complicado retirar 1 bilhão dos nossos cofres públicos, mas é muito melhor combater as mudanças climáticas antes que seja tarde demais...
Pesquisadores brasileiros estimam que o Brasil perca mais de 1 trilhão com as mudanças climáticas até 2100.

É claro que os países ricos se sentiriam envergonhados pelo fato de um país emergente colocar na mesa dinheiro para combater as mudanças climáticas, e iriam colocar muito mais dinheiro no "bolo".
Este fundo é extremamente importante para os países pobres, que aumentarão a pobreza devido ao não combate das mudanças climáticas.
E se o Mundo conseguir reverter essas consequências, os países pobres continuarão sem nenhuma base para crescer, e assim este fundo global possibilitaria a inclusão dos países mais pobres no crescimento do Planeta, que sem o fundo TERÁ O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL SOMENTE NOS PAÍSES RICOS E EM ALGUNS EMERGENTES!

Se vcs prestarem melhor na Marina Silva, perceberão que ao defender o desenvolvimento sustentável, ela sempre procura dizer que este novo tipo de crescimento não está ligado somente a preservação do meio ambiente, mas também ao desenvolvimento social... sempre pensando na dinâmica planetária...
Matheus,

Você continua fugindo da resposta, filho. E é exatamente nela que está o cerne do problema. De onde o Brasil deve retirar o bilhão?
Anônimo disse…
Se fosse pra ajudar cuba, bolivia equador paraguai e adjacências saberiam de onde tirar, ou estou enganado???