Prêmio Sir Henry Wickham de ½ Ambiente

A campanha Salve o Amazônida institui o prêmio Sir Henry Wickham de ½ Ambiente.

O prêmio é destinado a personalidades, nacionais ou não, que se destacaram concretizando medidas que, ao "salvar" o meio ambiente acalentando consciências carregadas, destruíram empregos e/ou oportunidades do povo da Amazônia.

Sendo a atividade de esculhambação do amazônida intensa, o prêmio terá periodicidade semestral e, embora faça parte dos devaneios dos organizadores a entrega de um troféu a cada premiado de maneira estratégicamente pensada e executada para criar um phato jornalístico, o prêmio será apenas virtual em função da falta de recursos da campanha.


Sobre a homenagem:
Henry Alexander Wickham foi o inglês que transportou sementes de seringueira da Amazônia para o Kew Garden, na Inglaterra, dando início o plantio industrial de Hevea no oriente, dizimando a renda e ceifando a saúde de milhares de amazônidas que por cá subviviam da economia gomífera. Por esse feito Wickham recebeu a comenda de cavaleiro da corôa britânica ao qual o título de Sir veio atrelado.


Sobre o troféu virtual:
O trofeu virtual é um camafeu feito com semente de jarina, uma palmeira amazônica. A semente de jarina, apelidada de mafim vegetal para dar concistência de marketing, é um desses produtos nos quais alguns apostam como fonte de renda para os povos da Amazônia. Na semente foi entalhada, por um artesão amazônida desconhecido, uma simpática mucura. A mucura é pequeno marsupial que tem entre seus hábitos o de lambuzar-se com as próprias fezes com o objetivo de escapar dos seus predadores não coprófagos.

O Primeiro Laureado
O primeiro prêmio Sir Henry Wickham de ½ Ambiente goes to:
Sua Excelência, o Procurador Chefe da Procuradoria da República no Estado do Pará, José Augusto Torres Potiguar

O laureado é signatário da notificação encaminhada aos frigoríficos do Pará que resultou na suspensão da compra de carne e couro paraense. Sua excelência, profundamente grávido dos sofismas comuns no debate amazônico, acredita que a legislação ambiental é perfeitamente cumprível bastando para tanto a ação do Estado e, por esta luz turva iluminado, exerceu o poder a ele conferido e aplicou os rigores da lei.

Ao trincar um elo chave da cadeia da pecuária nosso laureado phornicou milhares de empregos de amazônidas. Naturalmente são empregos em uma atividade aparentemente danosa ao ½ ambiente, entretanto são empregos e, ao não deixar nada no lugar, nosso procurador procurou, encontrou e executou uma forma de salvar o ½ ambiente e acalentar conciências ao mesmo tempo em que piora as condições de vida de seus concidadãos do norte.

Por esse motivo sua excelência, o procurador chefe da procuradoria da república no Estado do Pará, José Augusto Torres Potiguar é o primeiro agraciado com o prêmio Sir Henry Wickham de ½ Ambiente

Congratulações... ou sem...
------------------------------------------
Não deixe de conferir os vídeos da campanha Salve o Amazônida ao final deste blog.
Até á próxima premiação

Comentários

Anônimo disse…
Esta está no meu blog!!!!

Além da iniciativa que devemos apoiar, poderemos também gerar uma bolsa nacional e internacional de indicações dos premiáveis.

Meu voto para o próximo eleito vai para o Carlos Minc, pelo seu esforço extraordinário e enjalecado de destruição da floresta Amazônica, por estar dizimando as oportunidades de emprego, estimulando a migração desordenada para as áreas de reserva de recursos naturais.

Votante: João Lima
João Lima disse…
Grande Ciro!!!

Observando o nível da esculahmbação conosco, a freqüência dos descalabros e a insistência de litinhas, sugiro que o prêmio seja concedido em prazo mais curto de tempo. Do mesmo modo em que o tal Sir agiu, tivemos os eventos do açaí e do cupulate. Os cretinos estão à solta, por isso justifico o meu pleito. Candidatáveis não faltam para o prêmio. Só tenho mesmo é pena da mucura.

O que achas de ser trimestral?